Entrevista: Luiza Chao

No universo Hip-Hop temos nomes femininos fortes que contribuíram de forma significativa para o crescimento desse gênero musical, como por exemplo, Dina Di, Nega Gizza, MC Lyte, Foxy Brown, Queen Latifah, Lauryn Hill, Missy Elliot etc.

Luiza Chao

Atualmente temos uma jovem brasiliense de apenas 21 anos de idade que tem despertado a atenção dos ouvintes para seu trabalho no rap, Luiza Chao destaca-se por sua versatilidade nos temas e pelo flow, a artista musical transita desde o rap mais cantado e melódico, como por exemplo, na canção ‘Ulálálá’ até o rap mais afiado e cru como ‘Latino Americana’, sendo que neste rap temos Luiza utilizando-se de um flow mais rápido, rimando num único fôlego assuntos de ordem crítico-social.

Enfim, vamos a troca de ideias que tivemos com a brasiliense Luiza Chao, que nos contou sobre suas influências musicais, seus gostos, livros e filmes prediletos, como foi seu primeiro contato com o rap e muito mais!

Quem são suas influências no universo musical?

Luiza: A pergunta deveria ser “QUEM NÃO É MINHA INFLUÊNCIA?” rs…
Porque escuto muito de tudo, vivo disso, faço tipo fotossíntese musical… haha Estou sempre estudando, do mais underground à TUDO que toca na rádio. Mas pra ser sincera, meus pontos de referência são as artistas gringas mainstream, acho que TALENTO é dado por Deus pra você distribuir, sendo que muitas vezes isso significa o sacrifício diário em função da vida pública, essas artistas pra mim são o exemplo maior de doação de vida e tempo pela arte. Da forma que eu vejo, citar uma só seria desmerecer a contribuição da outra pro meu conhecimento.

Como foi seu primeiro contato com o Rap?

Luiza: Escuto rap desde criança, literalmente cantava todas as letras, desde
GOSPEL GANGSTA – ALIBI até SPIT YOUR GAME – NOTORIOUS. Mas mesmo com influências femininas poderosas como Lil Kim e Eve, na época, o pop (pop MESMO tipo Britney Spears, Madonna) ainda era minha paixão. Engraçado né? Falem o que quiser, minha vida profissional no rap começou desde que ouvi os 10 primeiros segundos do verso da NICKI MINAJ em GO HARD. Acho ela um poço de criatividade e muito versátil… E quem já ouviu CHAMPION dela, por exemplo, não tem como falar que ela não é uma rapper do ca..lho rs!

Como foi a sensação na primeira vez em que subiu no palco?

Luiza: Subi no palco pela primeira vez aos 8 anos, em um festival na escola.

Foi aí que me senti EU pela primeira vez, um EU bem envergonhado até então.. hehe Hoje AMO subir no palco, amo olhar o público nos olhos e ver eles reagindo a cada verso… Mas a responsabilidade é grande quando todos estão de ouvidos abertos e você com o mic.

Há grande diferença entre ser cantor, artista ou PERFORMER em minha opinião, por exemplo: Christina Aguilera é uma cantora incrível, mas tem sumido comercialmente devido a competitividade criativa do business.

Lady Gaga no entando é uma ARTISTA, acima de voz, sendo que suas criações são artísticas desde a composição até as roupas que usa. Beyonce, depois de Michel Jackson, em minha opinião é a melhor PERFORMER de todos os tempos! NINGUÉM faz o que ela faz no palco e ponto final, e digo isso falando de TODOS OS ARTISTAS que já vi no mundo, roqueiros inclusive. É humanamente impossível o que ela faz no palco, não existe UMA performance dela que não seja impecável.

Ao longo de todos esses anos do Hip-Hop, surgiram nomes fortes femininos, como por exemplo, Dina Di, Nega Gizza, MC Lyte, Foxy Brown, Queen Latifah, Lauryn Hill, Missy Elliot etc. O seu lírico e flow fazem com que todos estejam atentos em seu trabalho, como você lida com essa responsabilidade e pressão?

Luiza: Só sei agir sobre pressão, essa é minha sorte. Acho que me perderia no caminho se nada me pressionasse pra ficar em linha reta, sabe? Acordo e durmo todos os dias pensando nisso! Acredito em ultrapassar limites… não só sociais, mas SEUS próprios limites.. E isso é estar sobre pressão o tempo todo. Por isso ODEIO meio termo, faço o que decido por inteiro, de corpo e alma. Quem me amar, de alguma forma, vai tirar proveito das minhas experiências pra própria vida. E é esse meu foco!

Agora, quem odeia a causa, ODEIA e não faz diferença pra mim, nem pros meus babez. Prefiro viver sobre essa pressão, ao invés de viver a pressão diária de um trabalho monótono, por exemplo! heheh

Quais MC’s você destacaria da nova safra do rap nacional e internacional?

Luiza: Nova Safra né? Lá vai… Nacionais: tem MUITA gente de qualidade não descoberta ainda, só pra constar… Mas AllStar Brasil, Don L e Karol Conka são os mais visionários pra mim.

Internacionais: YOUNG MONEY, Chris Brown e Wiz Khalifa foram fundamentais nos últimos 5 anos, pra surgir esse hip-hop mais down e minimalista que tá rolando agora. August Alsina, Kendrick Lamar, Big Sean, Angel Haze pra mim são novos nomes que vão trazer novas idéias pro game.

Em ‘Latino Americana’ você está realmente afiada, sendo que o lírico e flow chamam bastante a atenção. Como foi o processo da composição da música, sua inspiração e a ideia de efetivar um flow mais rápido em ‘Latino Americana’?

Luiza: Latino Americana é o cru do cru, foi minha segunda música e eu estava com SEDE de falar, aí vocês imaginam… Tinha acabado de voltar de Los Angeles, onde moram muitos latinos e meus sentimentos estavam bem envolvidos naquela cena que só uma LATINA ou LATINO sabem.

Se o gringo trocasse de vida com o latino, pegando 3 horas de ônibus por dia e caminhando mais 5km pra trabalhar 12horas suadas em troca de um sálario mínimo… Ele não aguentaria uma semana sem entrar em depressão! E a gente? Sorri o dia inteiro!!!

Poderia dizer quais são os seus álbuns de rap prediletos?

Luiza: Como disse anteriormente, minha influência vêm do pop com tanta força quanto do rap, desse modo, pra ser honesta, raramente gosto de um álbum inteiro. Mas tem 4 álbuns que comi e como até hoje de café da manhã, almoço e janta.. hehe

DARK TWISTED FANTASY e YEEZUS do Kanye West
HOLY GRAIL do Jay-Z
BEYONCÉ da BEYONCÉ (álbum áudio visual que ela lançou em 2013)
Esses três analisando a OBRA COMO UM TODO, somando informações líricas e musicais da primeira a última música são pra mim uma BÍBLIA do hip-hop moderno. ROC-a-FELLA!

Com quais artistas você sonha realizar parcerias?

Luiza: Parceria é tudo de bom, seja para o artista explorar a dinâmica dos seus versos, como também para o público receber uma música com muito entretenimento. Pretendo fazer TODAS as parcerias possíveis, do sertanejo ao eletrônico, entende? Rap é bom COM TUDO! E tudo é bom com RAP!

Como aqui no Caros Ouvintes também comentamos sobre literatura e cinema, gostaria de saber se você nos revelaria alguns de seus livros e filmes favoritos?

Luiza: ‘O Controle da Mente’ é um livro incrível, porém uma arma… Tem que saber ser interpretado. E acima de tudo ter um bom coração, ou os conhecimentos nele passados se tonarão FUNGOS no seu espírito, papo reto! E falando de filme, sou fã do Diretor Tim Burton de corpo e alma! Entretenimento bizarro, com crítica social do roteiro aos vocais dos atores. Sem mencionar a direção de arte! Meu deus…

Fale um pouco sobre os seus projetos para o futuro? Vem álbum pela frente?

Luiza: Para o futuro tenho uma lista de pelo menos 30 músicas prontas ou em processo de finalização. Vou soltar algumas delas… com certeza antes de vir um álbum. Acho que da forma que o público absorve singles rápidos hoje em dia, vale a pena dar uma boa estudada com esses singles e assim fazer do álbum um pacote que traduza sentimentos sociais daquela época, À FUNDO.

Luiza, agradeço pela entrevista concedida ao site Caros Ouvintes. Você gostaria de deixar um recado final aos ouvintes de rap?

Luiza: Eu que agradeço! Agradeço ao Wendell e todos os leitores do site, o trabalho feito aqui é de imensa qualidade! O rap nacional está criando asas, e nada vai o impedir de voar. Pensem nisso… E um BEIJO pros meus BABEZZZZZ!!!! =*****

Confira Luiza Chao na  faixa ‘Latino Americana’:

https://www.youtube.com/watch?v=61LRov7XgNo

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *