Enviada defende repatriação de criança-soldado em Guantânamo

Radhika Coomaraswamy voltou a pedir ao Canadá e aos Estados Unidos que transfiram o prisioneiro Omar Khadr, que passou uma década na prisão após os atentados de 11 de setembro de 2001.

MÍDIA | Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York

A representante especial do Secretário-Geral da ONU para Crianças em Conflitos Armados voltou a pedir a repatriação de Omar Khadr, considerado a última criança-soldado presa na Baía de Guantánamo. Em carta enviada aos Estados Unidos e ao Canadá, ela lembrou que Khadr, que foi preso aos 15 anos, já passou uma década no centro de detenção. Ele foi detido no Afeganistão em 2002 por, alegadamente, lançar uma granada que matou um soldado americano. A representante da ONU afirmou que Khadr tem que ser solto como foi combinado com o Canadá em 2010. Ele tem um passaporte canadense. Para Coomaraswamy retornar o prisioneiro ao Canadá é a melhor forma de reintegração que ele pode ter e a maneira certa de lidar com o tema.

Categorias: Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *