Esqueceram de dizer

Muito bacana a matéria sobre a Casa da Memória escrita pela professora Salete Souza. Neste lugar estão guardadas informações preciosíssimas de Florianópolis, com registros raríssimos da nossa cultura e política.
Por Cláudia Barbosa

O que não foi falado na matéria é que este material encontra-se “depositado” na Casa da Memória, sem uma estrutura adequada e sem tratamento para que essas informações não se percam.
Não fosse pelo senhor Norberto Depizzollati, funcionário público responsável e dedicado ao seu ofício, estes registros já não existiriam mais. O meio físico que guardam essas informações são fitas K7 e de rolo da década de 40, 50, grande parte tomada pelos fungos e se deteriorando por não estar condicionado de forma adequada.
Uma lástima que a instituição cultural dessa cidade trate nossa memória dessa forma. A Casa da Memória só foi inaugurada, com uma grande festa, pra “depositar” o que para nossas autoridades parecem não passar de entulhos. Mas a festa de inauguração foi feita, com grande pompa… Pra quê mesmo, hein?

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *