Esse jingle é para tocar no rádio ainda hoje. Confira!

Quem viveu os anos 60 e 70 tomou conhecimento de jingles que se tornaram antológicos e que faziam  do rádio uma mídia excitante.
Por Chico Socorro

Alguns desses jingles, tal era a sua força de comunicação, ganharam imagens e  foram consagrados pela televisão. Nas agências de publicidade eles eram conhecidos como ‘jingles ilustrados “, jingles com imagens”.
Vale a pena relembrar alguns exemplos de jingles que permanecem até hoje na memória de muita gente.
Para quem é jovem, vale a pena conhecê-los.
Hoje vamos nos ater a jingles nacionais, de marcas nacionais. Num outro momento falaremos de jingles que marcaram a publicidade catarinense.
Selecionamos 3 jingles históricos que sobreviveram na memória popular até os dias de hoje:
Varig:  Estrela Brasileira – uma criação de Caetano Zamma
O jingle que vocês podem ouvir a seguir, criado por Caetano Zamma para a Varig,  foi umas peças publicitárias, musicais e culturais que marcou o Natal dos brasileiros durante anos seguidos. E poderia voltar ao ar a qualquer momento pois a sua letra e musicalidade é pura emoção.
:: Clique para ouvir
Casas Pernambucanas: Não adianta bater.
Este jingle já tem meio século e, incrível, continua atual. Uma criação magistral do  jinglista Heitor Carillo.
:: Clique para ouvir
Jeans US Top: Liberdade é uma calça velha, azul e desbotada.
Criado pelo estúdio MCR (Mineiro, Campanelli e Renato Teixeira) nos anos setenta, virou hino do movimento hippie em nosso país.
:: Clique para ouvir
         
Relembrar é viver!


{moscomment}

4 respostas
  1. beto ruschel says:

    Senhores.

    Há coisa de sete anos atrás, a agência DM-9 utilizou-se de uma obra de minha autoria sem consulta prévia. Trata-se do jingle “Liberdade é uma calça velha…”. Em seguida, como não assumiram seu erro, entrei com uma ação contra ela e seu cliente, a Itaú Seguros.

    Na realidade, “a obra de encomenda” foi composta por Beto Ruschel e Sergio Mineiro (sócio na MCR) e a produtora, foi a Prova Filmes de José Scatena.

    Como o original foi feito para as calças Levi’s e a agência DPZ, vindo, depois a sofrer um adaptação feita pelo Sergio e o Joca (da Thompsom), coloco a disposição de vcs a gravação que deu origem ao sucesso que conhecemos.

    Hoje, pelo Google encontro, mais uma vez, a informação errada de que o jingle é da MCR.

    A bem da verdade, gostaria que providenciassem esta correção.

    Grato.

    Beto Ruschel

  2. Antunes Severo says:

    Caro Beto, parece que a manhã ensolarada aqui da ilha previa que algo de muito especiall estava para acontecer. Ainda a pouco o Antonio, do Ceará escrve colocando seu acervo de áudio a disposição do Caros Ouvintes; agora este seu presente mais do que natalino porque se estenderá também pelo novo ano. Gratíssimo pela oferta. Aguarde contato pelo seu endereço de email. abraço grande.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *