Estudo anuncia fim do começo da era digital

"fim do começo da era digital"

O mercado de mídia e entretenimento do Brasil, o nono maior do mundo, teve salto significativo (10,6%) no ano passado; faturou US$ 43 bilhões.  E as promessas para os próximos cinco são animadoras. A projeção é que o país chegue à sétima posição em 2016, segundo o Global Entertainment and Media Outlook. Foram avaliados 13 segmentos como música, livros, TV, revistas, jornais, games e internet em 48 países. As nações emergentes se destacam nas perspectivas. O setor que movimentou US$ 1,6 trilhão em 2011 deve chegar a US$ 2,1 trilhões em 2016. Seria o “fim do começo da era digital”? Este é o título dado ao estudo, pois  dos gastos gerais, 28% foram destinados ao meio digital no ano passado. Daqui cinco anos, a parcela deve chegar a 37,5%. Mas os segmentos não digitais também devem crescer de acordo com a melhora da economia global, embora com taxas menores.

De acordo com a consultoria PwC, autora do relatório, os aparelhos móveis conectados e a explosão de suas vendas transforma o novo mercado digital em mais um mercado e ainda integra os já existentes.

Em 2011, o acesso a partir de aparelhos celulares, tablets, entre outros, cresceu 40%, Em média, 1,2 bilhão de pessoas acessaram internet móvel. A expectativa é que o número chegue a 2,9 bilhões em 2016. Ou seja, sinal de mais receita também para a publicidade.

O Brasil ganha destaque neste cenário de conexão mobile. Deve ser o primeiro dos 48 avaliados em relação ao crescimento. O país pode chegar à elevação de 16,4% ao ano.

Entre os segmentos que mais devem crescer nos próximos anos estão: acesso à internet, fixa e móvel (16,4% de crescimento ao ano); TV por assinatura (14,4%); publicidade digital, em aparelhos fixos e móveis (12,4%); e rádio (12%). Entre os segmentos que devem ter resultados mais modestos no período estão: livros, educacionais ou não (3,8%), jornais (4,4%); música (5,3%); e revistas (5,4%).

Com informações do Estadão | Redação Adnews

Categorias: Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *