Existem mais pessoas boas do que más?

Há algum tempo andava meio sem eira nem beira, como se diz e aí então, trocando idéias com um amigo resolvi fazer um tratamento psicoterápico com um profissional recomendado por ele. Dentre as muitas coisas que o psicoterapeuta falou, existe uma, que me fez pensar muito e me levou a mudar de opinião. Estávamos no meio de um bate papo bem interessante quando lhe disse que a maioria das pessoas eram más, mal intencionadas, preconceituosas e outros adjetivos pejorativos que nem me lembro.

Ele muito tranqüilo me dirigiu um olhar meigo e perguntou: Será?

Foi o suficiente para não ter uma resposta e ficar com esta pergunta martelando meus pensamentos por dias consecutivos até chegar à conclusão de que realmente a maioria dos seres humanos não é má, é boa, pelo menos na sua essência, e mesmo que mude e se transforme por circunstâncias da vida, não vai compor a maioria.

Fazemos esse juízo equivocado porque somos levados a ele pelas informações que chegam até nós ao acordamos ouvindo as barbáries que acontecem em todo o mundo, ao continuar nosso dia sendo bombardeados por este tipo de notícia e, no mais das vezes, dormimos ainda ouvindo este tipo de informação. E o resultado qual é?

Logicamente o de pensarmos que o mundo é composto por bandidos, assassinos, corruptos, falsários, golpistas etc, só que esse julgamento seria diferente se, ao invés, de somente essas barbáries serem noticiadas, também fossem veiculados feitos de tantas pessoas e instituições que agem no anonimato ajudando, ensinado, transformando a vida de uma infinidade de pessoas, que se não recebessem esse apoio iriam se juntar aos que são notícia no rádio, show de imagens na TV e manchete nos jornais todos os dias.

Vivemos num país onde não se combatem as causas, ao contrário estamos  sempre correndo atrás do prejuízo embora, saibamos que depois da casa arrombada, pouco adianta colocar esquema de segurança.

A polícia está sempre às voltas com traficantes, quando o combate ao uso de drogas deveria ser feito de forma preventiva, para que os jovens não caíssem nessa armadilha e tratando os já usuários para que não mais fizessem uso. Se isso ocorresse também não haveria mais tráfico porque não haveria mais consumidores.

Existem outros exemplos que também nos deixam pensando que a maioria dos componentes dos poderes públicos estão mal informados ou são mal intencionados, exatamente por que as providências não tomadas antecipadamente. Lembra do apagão? Pois é, somente depois do ocorrido é que foram tomadas providências para que a falha não se repetisse. Esse é só um exemplo de acontecimentos que poderiam ser evitados se a política governamental não fosse só a de apagar incêndios e a de prometer melhorias que na maior parte das vezes não acontecem; e se… nunca dentro dos prazos, como é o caso da BR 101 e tantas outras obras iniciadas.

Para finalizar, me permito dar ao caro ouvinte um conselho para que não acabe ficando descrente de tudo e de todos:

Coloque um bom par de filtros nos ouvidos, selecione as informações que recebe, procure pensar que apesar de tudo “o Mundo é bom e a felicidade até existe” e que existem sim, muito mais pessoas boas do que más, inclusive políticos, e que cabe a cada um de nós fazer a escolha certa e assumir nossa parcela de responsabilidade acompanhando os atos dos parlamentares que colocamos no poder para comandar nossas vidas e a nossa Nação.

Categorias: Tags:

Por Lenita Cauduro

Graduada em educação física, iniciou como apresentadora na TV Eldorado de Criciúma/SC. Transferiu-se para Florianópolis e na RBS foi a primeira coordenadora da Rádio Itapema FM e apresentadora da TV Mulher. Em publicidade atuou na área de Atendimento. Formada em Organização de Eventos, Cerimonial e Mestre de Cerimônias.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *