Exposição “Peixoto Pop 2008 – 2018”, de George Peixoto

De 11 de abril a 8 de maio fica em cartaz no Tralharia uma exposição especial do artista George Peixoto – uma retrospectiva do trabalho realizado nos últimos anos.

Segundo Neno Brazil – artista visual, designer gráfico, cenógrafo e diretor de criação e curador da exposição: “George Peixoto nos traz agora uma retrospectiva desde 2008, a retomada recente de suas pinturas, mostrando suas criativas séries temáticas e trazendo a alternativa de apresentá-las em cópias numeradas em uma edição fine-art de trabalhos representativos dessas diversas séries dos últimos 10 anos, e como diz o próprio artista: uma exposição popular”.

O nome “Pop”, na opinião de Neno, vem do fato de considerar a produçãode Peixoto pop-arte: “Acredito que o Peixoto alcança plenamente sua fatura artística nas séries em que se entrega a abstração ou a uma “quase-abstração” de grafismos pop-lúdicos que compõem geralmente um padrão que preenche todo o espaço do trabalho com traços pretos fortes contornando cores marcantes muito bem distribuídas.”

A ideia da retrospectiva desde a retomada da arte em 2008 foi do próprio artista: “Minha curadoria se resume a selecionar com ele um conjunto de ‘flores’ entre as do seu jardim de obras diversamente coloridas e apenas dar um laço nesse novo ramalhete de figuras e não-figuras do universo pop que G.PEIXOTO generosamente nos reapresenta nesta quase-retrospectiva de cuidadosas reproduções fine-art assinadas e numeradas de seus trabalhos mais icônicos”, afirma Neno.

A abertura acontece no dia 11 de abril, quarta-feira, às 19h30, no Tralharia – Rua Nunes Machado, 104 – Florianópolis.

Visitação: de 11 de abril a 8 de maio, de terça a sexta das 18h à meia-noite e aos sábados das 15h às 21h.

Sobre George Peixoto

“George Alberto Peixoto é acima de tudo um artista plástico. Nasceu artista, criou-se vivendo a arte, começou desenhando o perfil das namoradas, mas se profissionalizou no mundo da Comunicação. Sempre com engenho e arte para dar e vender.
Foi radialista, dirigindo uma emissora que marcou época em Florianópolis distinguindo-se pela qualidade de sua programação. Do discotecário à gerência da emissora se respirava arte. A seleção musical – do repertório popular brasileiro, à Bossa Nova, o Jazz e aos ícones do erudito – tudo vinha embalado na arte de apresentar ou comentar de locutores escolhidos a dedo e também grandes conhecedores do que estavam falando.”

Leia mais do texto George Peixoto e suas muitas marcas, por Antunes Severo.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *