Filhos: Presente

Já ouvi dizer que se travaram guerras por terras, ouro, petróleo; e que talvez um dia a luta seja por água.

O homem luta, guerreia por aquilo que tem valor ou lhe parece ter valor; quando na maioria das vezes a ganância é o fator principal.

Mas há algo mais precioso do que qualquer guerra possa conquistar. Existe um bem tão precioso que faz com que homens e mulheres não pensem duas vezes antes de dar sua própria vida se fosse necessário. Um bem tão precioso que dá a qualquer mãe ou pai pavor de pensar em perder. Uma frase que foi escrita há mais de 2500 anos:
“Os filhos são uma herança de Deus”. Salmos 127:3 – Bíblia.

Faço agora um convite aos amigos leitores que são pais. Recorra à sua memória e busque qual o momento que ficou gravado em sua mente como se tivesse sido filmado. Note se não é um verdadeiro – espetáculo da natureza. É seu filho lhe dando um abraço, um beijo, um olhar, uma palavra ou frase, um sorriso? E se alguém perguntasse o valor dessa – memória – qual seria?

E para os filhos o que têm mais valor; roupas de “marca”, viagens, um bom colégio, brinquedos caros?

Nossos filhos nos dão trabalho e trazem preocupações, mas nos dão momentos incríveis. Aqueles momentos em que ficamos completos, felizes, realizados; nos sentimos “ricos”.

Lembro de sorrisos que foram um espetáculo; talvez tenham me causado impactos parecidos com as Cataratas do Iguaçu; sendo que até hoje só vi essas cataratas pela televisão. Nos mais simples presentes; doces e uma boneca barata. Ou com o filho numa caixa de papelão sendo puxado por mim por um cordão. Que sorrisos, que espetáculos. Imagens gravadas nas mais “altas tecnologias mentais”.

Lembro do papel inverso aqui; filhos x pais. Um rapaz que ao chegar à adolescência me disse que sentiu vergonha de mostrar seu carinho pelo pai. Parecia constrangedor beijar e abraçar o pai em público como costumava fazer um ano antes. Mas disse o jovem que de repente, não mais que de repente, pensou na possibilidade de um dia não ter mais o pai. Passou a demonstrar como adolescente o mesmo carinho e amor ao pai como quando era criança. Quando ele ainda tinha 15 anos o pai descobriu uma grave doença que tirou sua vida em menos de um ano. E o jovem diz que embora sinta a dor da saudade fica feliz por ter demonstrado ao pai todo o seu amor, todo o seu carinho.

O que podemos dar de melhor aos nossos filhos? Tem haver com dinheiro? Ou quem sabe com status ou uma carreira de sucesso? Talvez além da faculdade ser aprovado em um bom concurso público?

Nas melhores das intenções alguns pais sobrecarregam os filhos com inúmeras atividades. Além de os filhos terem que dar seu melhor na escola têm que aprender outros idiomas, esportes e sabe lá o que mais.

Há pais preocupados com os filhos; outros talvez encontrem um meio de ocupar os filhos para que eles mesmos tenham mais tempo para suas realizações. Filhos bem ocupados; pais livres para fazer o que querem.

Por terras, por ouro e por petróleo guerras foram travadas. Por carreiras de sucesso, garantia de bom emprego e status pais têm sacrificado – como numa guerra – algo de grande valor.

Como numa guerra pais sacrificam o precioso tempo e esquecem que o dinheiro não pode comprar o tempo. O que pode “comprar o tempo” é o equilíbrio, o bom senso; reconhecer o que os filhos talvez queiram outras coisas.

Nossos filhos são para as memórias e para o futuro um maravilhoso – presente.

 

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *