Flávio José Cardozo é destaque de 2005

O livro Guatá de Flávio José Cardozo, lançado em novembro último é uma das obras de autores catarinenses mais lembradas entre os entrevistados pela repórter Denise Ribeiro do Diário Catarinense.
Da redação 


Foto do Flávio

Numa análise da literatura catarinense atual, o trabalho de Flávio José Cardoso é apontado juntamente com Burabas, de Adolfo Boos Júnior, como os dois mais lembrados no ano de 2005. Aliás, para Eglê Malheiros Guatá e Burabas são obras que se destacam também entre as publicações nacionais  por “recriarem um universo vivido e lançarem luzes sobre o nosso presente”.


Foto capa do Livro

Guatá, que dá nome ao novo livro de Flávio José Cardozo, é a vila operária em que o escritor viveu a infância. Fica na região carbonífera do Sul catarinense, no município de Lauro Müller, ao pé da conhecida Serra do Rio do Rastro.
Concebido como uma visita que o narrador faz à vila de hoje para reviver a vila de ontem, Guatá é um livro de contos que, por sua unidade temática e por se passar todo num mesmo espaço e numa mesma época, com uma grande galeria de personagens, sugere o andamento de um quase-romance. A entrada para esse passeio se dá pela estrada da Serra. Em treze episódios, são recriados os dramas da exploração do homem e da natureza, os faroestes no cinema da Companhia, as brigas de verdade nos desacertos do jogo, alguns enredos amorosos, o Castelo dos senhores das minas, os tropeiros, os apelos da Serra azul, a lembrança das crianças que para ela subiram… A saída do passeio é pelo vale do rio Tubarão, por onde o trem corria.
Flávio José Cardoso e colunista voluntário do site www.carosouvintes.org.br. Veja mais detalhes, clique aqui.


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *