Florianópolis fora do rádio digital?

Por mais indigesto que possa parecer, o fato é que o rádio digital é um fato. É uma questão de tempo. Se o assunto está passando desapercebido não só do grande público como dos estudantes e professores de comunicação de maneira geral, o que estão pensando os empresários? E você, caro leitor-ouvinte?
Por Antunes Severo

A propósito, reproduzimos correspondência do professor Eduardo Meditsch, do curso de Jornalismo da UFSC enviada para a lista de assinantes do Mídia Sonora do Intercom. “Oi Nélia e demais colegas da pesquisa: Conversei com o Pedro Leite, coordenador da Rede Itapema, e fiquei sabendo que não teremos experimentos com rádio digital por ora em Florianópolis. Embora a cabeça da rede seja aqui, o experimento da Itapema será feito também em Porto Alegre, como o da Rádio Gaúcha, porque lá é a sede principal e o forte da engenharia da RBS.
O Pedro também me disse que os testes nesta fase serão de transmissão e recepção do som pelo Iboc, ou seja, só testes de engenharia, sem utilização ainda de nenhum recurso de interatividade e/ou de programação. Até por ser Iboc – ou seja – a mesma programação estará sendo emitida em AM e FM para o público, que não tem acesso ainda a receptores digitais, eles não pensaram em outras experiências por agora.
Creio que isso cria uma dificuldade e uma oportunidade para o nosso projeto de pesquisa. A dificuldade é que não teremos muito, em princípio, para pesquisar, se todos os testes do país se limitarem a este rumo. A oportunidade é pensarmos em outros experimentos factíveis e oferecermos isto às empresas. Provavelmente elas terão interesse de abrir algum espaço da programação para esse tipo de iniciativa, não só por uma questão de marketing (aparecerão como as pioneiras no rádio digital), como a indústria de receptores poderá ter interesse em apoiar (é uma forma de motivar o público a entrar na era digital). E, com o apoio destes segmentos, podemos ter também financiamento da Finep. É uma idéia para amadurecer. Abração, Eduardo”.
A pesquisa a que o professor Eduardo se refere vem sendo acompanhada pelo Instituto Caros Ouvintes. Na capa do site, na seção Universidade, item Pesquisa, você encontra a mais recente versão da proposta que está sendo utilizada pelos pesquisados do Núcleo de Pesquisa de Rádio e Mídia Sonora, do projeto Intercom.
Se preferir, clique aqui e vá direto para o texto do projeto.


{moscomment}

Categorias: Tags: ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *