HB 128: O tempo passava e por pouco não me desesperei

O derradeiro parágrafo da carta do Dr. Blumenau, conhecido no capítulo anterior, falava dos invejosos. Diz ele: “houve, porém, invejosos que entraram a agir, armando intrigas e chicanas. O tempo passava e por pouco não me desesperei. Nesse meio tempo, no Itajaí, trinta e seis cabeças de gado, que eu havia comprado novamente, morreram de peste. Afinal, recebi o dinheiro e pude livrar-me das maiores dívidas e respirar desafogadamente, e, com novas esperanças, voltei ao trabalho. No Rio comprei mercadorias, peças e maquinismos para um engenho de açúcar e muitas outras coisas, no valor de dois mil thalers. Num leilão, adquiri algumas colmeias, setenta e cinco belas espécies de mudas (frutas do sul da França) e o Dr. Riedel me deu também muita coisa.

É possível perceber nesta parte da sua carta a retomada do ânimo. O próprio texto sugere a recuperação do alto astral, ainda que isso fosse apenas parte da solução. Mas já não estava imobilizado pelos problemas e podia dar curso ao tão sonhado projeto da colônia. Continua o Dr. Blumenau: “puz tudo a bordo de um brigue, ao cuidado de um amigo, com destino a Santa Catarina. Por estar doente, segui viagem depois, num vapor. Cheguei ao desterro. O brigue, porém, não apareceu; já perto do seu destino um vaso de guerra inglês o prendera e, depois de um exame nos papéis do comando, apesar de não esconder escravos a bordo o levara preso para Santa Helena. E nós perdemos tudo. Eu, dois mil, um negociante alemão outro tanto; enfim, um prejuízo de cerca de vinte mil thalers.

A seguir: azar, imprevidência ou simples curso de um destino de provações?

Categorias: , , Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *