HB 148: uma colônia modelo

Nesse mesmo ano – mil oitocentos e cinquenta e seis – Reinhold Gaertner seguiu para a Alemanha. Estava investido de todos os poderes como representante do Dr. Blumenau. Ao retornar, vinha credenciado como Cônsul do Ducado de Brunswick, sua pátria. Encontrou a colônia frente a um progresso visível, mas, nem por isso, livre de problemas e das dificuldades que um projeto da sua magnitude era capaz de produzir. Os compromissos assumidos por conta do empréstimo concedido pelo Governo Imperial eram bem maiores que as possibilidades geradas pelos recursos. O colonizador e seus liderados podiam respirar mais aliviados. Não podiam, contudo, dizer-se livres de grandes preocupações, pelo menos enquanto continuassem a sonhar com a implantação de uma colônia modelo, de cuja categoria o colonizador não abria mão.

Quatro anos depois do empréstimo, em mil oitocentos e sessenta, é que as coisas tomaram rumo definitivo. A treze de janeiro é que acontecia a entrega da colônia ao Governo Imperial. Já há algum tempo o Dr. Blumenau estabelecia entendimentos nesse sentido, convencido de que o peso era grande demais. Dez anos haviam se passado e quanto mais a colônia evoluía, tanto mais se avolumavam os problemas. Confirmava-se a constatação de que a colonização do Itajaí era tarefa bem acima das possibilidades de realização de um homem só, muito especialmente com a sua carência de recursos. O empréstimo contraído cinco anos antes impediu a falência do empreendimento. Mas era insuficiente para a continuidade do processo, muito especialmente em virtude do acréscimo de responsabilidades havido desde então.

A seguir: Dr. Blumenau entrega ao governo a colônia.

Categorias: , , Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *