HB 88: um relatórios abrangente

Em seu relatório, que recebeu de muitos a denominação de Tratado,  o jovem Blumenau foi bastante abrangente. Suas buscas foram incansáveis e as análises versaram sobre todos os ângulos que o assunto oferecia. Aliás, percebe-se já nessa fase de sua vida características marcantes, sempre presentes ao longo de uma história fascinante: ele ia fundo em tudo que se propunha. Era organizado, persistente, minucioso, franco e diligente. Tinha aí a base essencial para o sucesso das iniciativas e das empreitadas a que se lançaria em futuro não muito distante.

De repente aquele jovem pacato e aparentemente sem destino, definiu-se um especialista no assunto.  Blumenau qualificava a muitos dos agentes ou aliciadores de emigrantes como aventureiros, irresponsáveis, inconseqüentes, sem o menor senso dos valores implícitos naquilo que faziam. E mais tarde ficou provada essa realidade. Chegou-se a afirmar que, em alguns casos, essa postura revelou dotes verdadeiramente divinatórios de Blumenau.

Grande parte do seu trabalho é dedicada à investigação na Europa, Ásia Menor, América, África e no arquipélago da Indochina. Mas é no Brasil que ele considera “aparentemente favorabilíssimas” as condições para a implantação de colônias alemãs. Excluiu, contudo, desse conceito, as regiões catarinenses cobertas de florestas virgens.  Mas foi justamente uma dessas regiões que mais o encantou.

Mas vamos em frente. Afirmava, ainda, em seu tratado, que o governo estaria vivamente empenhado em atrair imigrantes probos e que haveria um vasto mercado interno a inspirar novas atividades. Termina as explanações com palavras que bem definiam o seu caráter. Entre aspas: “oferece-se aos imigrantes no Brasil uma perspectiva, mesmo na hipótese de a Alemanha cruzar, como habitualmente, os braços, de vez que foi apresentado às Câmaras brasileiras um grandioso plano de colonização”. O que havia para ser dito ele não mandava dizer. Era pão-pão, queijo-queijo.

A seguir: vigoroso, mesmo, foi o final do tratado, com palavras que o credenciaram para a história futura. Até o próximo capítulo

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *