Hermanos

selo-cronicas-da-desterroUno, dos, uno, dos, contava o jovem argentino que, ao lado de dois amigos, caminhava narrando o rebolado da jovem na Felipe Schmidt. – Uno, dos, uno, dos, conforme subisse o glúteo da esquerda ou o da direita.

Atrás deles, passei a contar também: um, dois, um, dois, olhando para o traseiro dele. O rapaz voltou-se imediatamente, olhando primeiro para a própria bunda, depois procurando quem monitorava seus movimentos.

Soltei uma gargalhada, no que fui correspondida pelos seus amigos. Abri os braços, ergui as sobrancelhas e os ombros como quem diz: – Isso é pra tu vêj!

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *