Hino às belezas de Florianópolis

Rancho de Amor à Ilha, do poeta Zininho, faz 40 anos

A cantora Cláudia Barbosa começa hoje a celebrar os 40 anos de composição do Rancho de Amor à Ilha, o hino de Florianópolis, escrito em 1965 por seu pai, o poeta, músico e radialista Zininho.

[ Por Fábio Bianchini – DC 13/08/05 ]

Curiosamente, Claudio Alvim Barbosa, o Zininho, quase ficou de fora do concurso Uma Canção Para Florianópolis, promovido pela prefeitura. Até poucos dias antes, dizia a quem quisesse ouvir que não participaria, apesar de na época, já ter reputação estabelecida no meio artístico local. Além de poeta e compositor, ele era também cantor, rádio-ator, sonoplasta, técnido de som e produtor de rádio. Zininho só aceitou tomar parte no concurso, realizado no Teatro Álvaro de Carvalho, em função da insistência de amigos, como Antunes Severo e Adolfo Zigelli. Como decidiu de última hora entrar na disputa, também não teve muito tempo para compor aquela que viria a ser sua mais famosa canção.

– Ele não havia preparado nada. O Rancho foi feito de véspera – conta Cláudia.

Para terminar a letra, olhou em volta e inspirou-se tanto na natureza quanto na vida urbana, ainda simples e prosaica, da Florianópolis dos anos 60. Deu tons poéticos à definição de ilha que aprendemos na escola, como “pedaço de terra cercado por água de todos os lados” e chamou-a de “pedacinho de terra perdido no mar”. Invocou a leitura de jornal nos bancos da Praça XV, as rendeiras e o luar sobre a Lagoa da Conceição. Teve o cuidado preservar a simplicidade na escolha das palavras. Entre as escolhidas para as estrofes do Rancho, apenas duas são de uso menos comum: fagueira (que afaga), para falar das tardes da cidade, e sestrosa (vaidosa), em referência à Lua.

A ausência de complicações e floreios de linguagem deu ao texto um espírito singelo que conquistou o público. O Rancho de Amor à Ilha venceu o concurso e, três anos depois, foi oficializada como hino de Florianópolis. Nessas quatro décadas, já recebeu muitas versões e gravações. Apesar de sua mais célebre criação cantar a Ilha, Zininho morreu, no dia 5 de setembro de 1998, morador do Abraão, na parte continental da cidade. De onde podia ver toda a sua musa. 

Rancho do Amor à Ilha

Um pedacinho de terra, perdido no mar!…
Num pedacinho de terra, beleza sem par…
Jamais a natureza
reuniu tanta beleza
jamais algum poeta
teve tanto pra cantar!
Num pedacinho de terra
belezas sem par!
Ilha da moça faceira,
da velha rendeira tradicional
Ilha da velha figueira
onde em tarde fagueira
vou ler meu jornal.
Tua lagoa formosa
ternura de rosa
poema ao luar,
cristal onde a lua
vaidosa, sestrosa, dengosa
vem se espelhar…

Da Redação

A primeira gravação comercial do Rancho de Amor à Ilha foi realizada por inciativa da A.S. Propague de Rozendo Lima e Antunes Severo. O projeto editorial, grafico e de produção foi desenvolvido pela agência, sem custo para a Prefeitura. Os custos de gravação dos originais e a prensagem das 1000 cópias foram financiados pela Ciaxa Econômica Estadual de Santa Catarina.   

À época -junho de 1968 – Neide Maria residia no Rio de Janeiro, o compositor Zininho em Curitiba e a agência A.S. Propague tinha sede em Florianópolis. Os contatos com os Titulares do Rítmo, arranjadores e orquestra foram feitos por Zinho, enquanto que a operação de deslocamento e estada em São Paulo foi coordenada pela A.S. Propague.

Prefeito Acácio Garibladi SanThiago, recebe de Antunes Severo as artes criadas pela A. S. Propague para a capa do disco e a programação visual da campanha de lançamento feita durante a II Fainco., em Florianópolis.

Prefeito Acácio Garibladi SanThiago, recebe de Antunes Severo as artes criadas pela A. S. Propague para a capa do disco e a programação visual da campanha de lançamento feita durante a II Fainco., em Florianópolis.

Antuns Severo e Zinho com integrantes do conjunto vocal Os titulares do Rítmo, em São Paulo, durante a primeira gravação do Rancho do Amor à Ilha.

Antuns Severo e Zinho com integrantes do conjunto vocal Os titulares do Rítmo, em São Paulo, durante a primeira gravação do Rancho do Amor à Ilha.

16_Spot-1968

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *