História de Blumenau – 26

Uma revisão das peculiaridades profissionais desse tempo permite constatar o quanto havia de organização nos primórdios da colonização. O Dr. Fritz Muller era médico e Filósofo por formação acadêmica e naturalista por opção. É importante saber que se negou a prestar o juramento exigido pela Faculdade de Medicina, cujos termos considerava contrários aos seus princípio de agnóstico convicto. E por isso não recebeu diploma de medicina. Mesmo sem o diploma, porém, medicava com competência e os seus préstimos foram inestimáveis para os moradores da colônia. Fernando Ostermann era professor e Augusto Muller era jardineiro formado no Jardim Botânico de Berlim.

Continuando a lista de profissões, temos em Guilherme Fridenreich um veterinário, que também se tornou vendeiro. Os demais eram: um ferreiro, um armeiro, um torneiro, dois alfaiates, dois sapateiros, um pedreiro-escultor, um cavouqueiro, três marceneiros, um construtor de engenho, um moleiro, dois carpinteiros, um tanoeiro e os demais eram lavradores. Todos, entretanto, cuidavam especialmente da lavoura e se dedicavam, esporadicamente, às atividades das suas profissões. Apesar da presença do Professor Fernando Ostermann, não havia ainda sido instalada a escola. As práticas religiosas, porém, não eram descuidadas. O Dr. Blumenau, assim como os demais colonizadores, era profundamente religioso. O único que destoava desse quadro era Fritz Müeller, materialista ferrenho que, como vimos, abdicou ao diploma de medicina porque o juramento proposto contrariava a sua visão do mundo e da vida.

Aos domingos os colonos reuniam-se no rancho de recepção aos imigrantes e celebravam o ofício religioso. Dr. Blumenau era o oficiante. Explicava aos demais o conteúdo da Bíblia e comandava a récita de preces do culto evangélico a que todos pertenciam./ 28 de dezembro de 1852 foi data marcante no calendário da colônia.  Aconteceu o primeiro ataque dos índios botocudos ao estabelecimento da colônia. Com o Dr. Blumenau ausente, os imigrantes entrincheiraram-se nos ranchos à margem do Ribeirão da Velha e dali rechaçaram os selvagens. Mataram dois deles e colocaram o restante em fuga. Para aquela gente, vinda de um país onde a civilização era avançada, a visão dos índios e a sua ação causaram espanto e deixaram a todos verdadeiramente impressionados.

No próximo capítulo: a colônia perde moradores e a sua população diminui.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *