Histórias de sucesso: brasileiros reconhecidos nos EUA

A revista IMPRENSA publica em sua edição de Outubro de 2012 (Nº 283, p. 77) comentário escrito pelo presidente de honra da Intercom, José Marques de Melo, enaltecendo a ascensão de três brasileiros que triunfaram na academia. Reproduzimos a seguir sua exposição e argumentação: “Os imigrantes brasileiros radicados nos EUA nem sempre protagonizam histórias de sucesso. Além de Carmen Miranda e Tom Jobim, a regra tem sido uma existência medíocre, como de resto acontece com os integrantes dos grupos étnicos ilhados nas periferias. Por isso mesmo, fiquei agradavelmente surpreso ao folhear o Catálogo do Congresso comemorativo do centenário do campo da comunicação de massa. Ao contrário dos costumes brasileiros, que sonegam o reconhecimento público aos vitoriosos, a cultura ianque é fértil em atos de legitimação dos que atingem o cume da escala ocupacional. Pois bem, o Catálogo da95ª. AEJMC Conference, realizado em Chicago, no período de 9 a 12 de agosto, exibia indicadores da ascensão de scholars do Jornalismo procedentes do Brasil.

Na referida conferência, três mestres ocupavam espaços privilegiados, dois homens e uma mulher, oriundos de diferentes regiões brasileiras. O mais notório é sem dúvida o fluminense ungido pelo pioneirismo e pelo empreendedorismo. Refiro-me a Rosental Calmon Alves, criador do primeiro jornal on line do nosso país. Há um decênio, ele se inscreveu em concurso aberto pela Universidade do Texas, competindo com mais de 100 candidatos, para ocupar a cátedra de Jornalismo. O vencedor instalou-se em Austin, granjeando prestígio mundial e legitimidade acadêmica em sua área de trabalho. Hoje ele é sem dúvida o brasileiro de maior projeção na academia norte-americana, ocupando ainda a liderança da rede global de Cátedras UNESCO de Comunicação.

Os dois outros patrícios que atraíram as luzes dos refletores de Chicago foram a gaúcha Heloisa Herscovitz e o paraense Raul Reis.  Ela ganhou notoriedade no Brasil, atuando em universidades de Porto Alegre e de Florianópolis, mas firmou-se academicamente depois que fez carreira numa universidade pública da Califórnia. Pesquisadora competente, vem atuando na arena internacional, o que lhe assegurou o reconhecimento dos pares, sendo eleita para presidir a Seção de Comunicação Internacional da AEJMC.

Contudo, a estrela brasileira de maior brilho em Chicago foi o jornalista formado pela Universidade Federal do Pará, acolhido por Janet Wasko, na Universidade Oregon, onde fez mestrado e doutorado. Raul lutou para conquistar seu lugar ao sol na academia ianque, ascendendo ao mais alto posto já ocupado por brasileiro nos EUA. Tornou-se o Dean da Faculdade de Jornalismo e Comunicação de Massas da Universidade Internacional da Flórida. Sua ascensão ao top do universo acadêmico rendeu anúncio de página inteira no programa do emblemático congresso de Chicago. Agora, chegou a vez do Brasil reconhecer sua vitória.”

Categorias: Tags: , , , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

1 responder
  1. Ludenbergue Góes says:

    “Os imigrantes brasileiros radicados nos EUA nem sempre protagonizam histórias de sucesso. Além de Carmen Miranda e Tom Jobim, a regra tem sido uma existência medíocre”
    Se tivesse lido meu livro “Mulher brasileira em primeiro lugar, o autor não teriadito isso…

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *