Homenagem à Dakir

O tradicional Largo da Alfândega passa a partir de agora a homenagear uma das mais importantes figuras da história do rádio em Florianópolis.
Por Dieve Oehme, de Florianópolis

A prefeita Angela Amin, descerrou hoje, 17, placa denominando o local como Espaço Público Largo da Alfândega Prefeito Dakir Polidoro. A solenidade contou com a participação do filho Polidoro Júnior e de outros familiares do radialista, autoridades e colegas de profissão. Fizeram uso da palavra, além da prefeita Angela Amin e do irmão do homenageado, Jorge Seara Polidoro, os jornalistas Manoel Timóteo de Oliveira e Moacir Pereira, representando a Casa do Jornalista e a Associação Catarinense de Imprensa.

A popularidade de Dakir Polidoro levou-o à Câmara de Vereadores, onde foi eleito vereador por 12 anos, ocupando por duas vezes a presidência do Legislativo. Foi também prefeito interino da capital, por duas vezes, além de ter sido um dos fundadores da Casa do Jornalista e presidente do Sindicato dos Radialistas. Nascido em Florianópolis, em 1928, filho de Basílico Polidoro e de Iracema Leite Seara Polidoro, Dakir Polidoro foi casado com Ayêsha Velozo Leite Polidoro, com quem teve oito filhos. Faleceu em 23 de janeiro de 2002.

Durante quase 35 anos, Dakir Polidoro acordou os moradores de Florianópolis às 6 horas da manhã com a frase: “Tá na hora, vamos levantar, tá na hora…”, dando início ao programa “A Hora do Despertador”, da rádio Diário da Manhã. Utilizando-se de sinos e buzinas estridentes, o radialista conquistou por muitos anos a audiência absoluta nas manhãs da capital catarinense.

A “Hora do Despertador” era um programa de utilidade pública, voltado à informação dos ouvintes, que logo cedinho já ficavam sabendo de tudo o que estava acontecendo na cidade, desde nascimentos e falecimentos, até o preço dos produtos da feira e a variedade de peixes fresquinhos que chegavam às bancas do Mercado Público.

Identificado com as causas sociais, Polidoro também usava da popularidade do programa para promover festas natalinas, onde distribuía presentes para as crianças de comunidades carentes. Outra marca do radialista era a comemoração da Páscoa, quando promovia desfile das grandes sociedades, entre elas, a Tenentes do Diabo. “Ele chegou inclusive a alugar um avião do Aeroclube de Florianópolis para sobrevoar a antiga praça da Bandeira, jogando balas e chocolates para a criançada”, lembrou emocionado o irmão Jorge Seara Polidoro.

Em seu discurso, a prefeita Angela Amin falou que a escolha do Largo da Alfândega para a homenagem baseou-se na identificação do local com a própria vida do radialista. “Nós pensamos muito no local para homenagear essa pessoa que viveu uma história tão positiva com a cidade. A história que o Dakir teve com o mercado e a alfândega, local por onde ele passava diariamente, e agora com o processo de revitalização da feira livre do Largo da Alfândega, tem tudo a ver com ele”, concluiu.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *