Homenagem merecida

No dia 12 de junho passado, a Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina realizou sessão solene, proposta pelo presidente da Casa, deputado Estadual Júlio Garcia, para a concessão do título de Cidadão Catarinense a Mário Pinto da Motta Júnior.  A decisão da Assembléia foi unânime e a homenagem é merecida, por inúmeros motivos.
Por Cesar Luiz Pasold

Mário Motta fez a opção de ser catarinense e viver aqui conosco realizando o seu trabalho seja como Educador, seja como Comunicador, sempre cumprindo, com o zelo, a garra e a competência que lhe são peculiares, o referente primordial de contribuir para o efetivo desenvolvimento integral da gente e da terra barriga-verde.
Como Educador, no passado e no presente, Mário, dotado de extrema sensibilidade, caracteriza-se como permanente estimulador da formação humanista e integral, sob o compromisso mor do crescimento cultural pleno e do permanente aprimoramento nos aspectos intelectuais e nos aspectos físicos, tanto das pessoas individualmente quanto da Sociedade.

Como Comunicador é eficaz e efetivo na percepção dos fatos e ágil no exercício da sua função social. Neste campo, realiza perene diálogo com aqueles que o ouvem na rádio e o ouvem e o vêm na televisão. O seu estilo, tanto como noticiarista quanto como comentarista caracteriza-se pela extrema clareza na expressão combinada com a fidelidade máxima à realidade dos acontecimentos. Esteve e está presente, com eficiência comunicativa, em todos os momentos relevantes da vida florianopolitana e catarinense. Mas e, sobretudo, o seu desempenho maior se consagra na presença diária em nossas vidas, através do rádio, trazendo informações de interesse geral e estimulando sempre os comportamentos éticos e voltados ao bem comum.
 
A sua história pessoal é muito interessante e exemplar. Seus Pais foram artistas de rádio, teatro e circo. Tiveram uma vida itinerante durante longo tempo e Mário, por força desta condição, viajou muito e conheceu inúmeras cidades do nosso imenso Brasil. Aliás, ele nasceu no circo no dia 25 de março de 1952! Forjado na vida do trabalho dinamicamente realizado em realidades diversas e em ambientes muito variados, Mário desenvolveu de modo muito acentuado a capacidade de rapidamente se ambientar e de realizar uma convivência sincera e construtiva, criando, pois, sólidas amizades. Tive o privilégio de conviver profissionalmente com Mário Motta na área da educação e testemunhei pessoalmente e na lide cotidiana todas as qualidades que neste artigo enfatizo. Da mesma maneira, vivenciei, para minha honra e aprendizado, algumas experiências comunicativas em parceria com Mário e, ali também, a sua personalidade especial sobressaiu.
Parabéns à Assembléia Legislativa catarinense pela iniciativa!
Parabéns, Mário! A tua catarinidade foi merecidamente reconhecida!
CESAR LUIZ PASOLD
[email protected]


{moscomment}

Categorias: Tags: , ,

Por Cesar Luiz Pasold

Escritor, advogado e professor catarinense, é autor de 15 livros técnicos e co-autor de mais nove. Especificamente na área da comunicação, Cesar Pasold escreveu: Personalidade e Comunicação (2005), Técnicas de Comunicação para o Operador Jurídico (2006) e O Jornalismo de Moacir Pereira (2012).
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *