Homenagem a um grande amigo

Quando um amigo se ausenta do nosso convívio, a saudade começa a apertar os nossos corações. O ser humano constrói com magnitude e sapiência a destinação dada pelo Pai Maior. O expurgo da nossa vida se imanta nas qualidades que auferimos as nossas vidas. Uma missão divina nos foi dada, e devemos zelar pelos procedimentos que nos foi atribuído procurando transformá-la numa psicosfera de amor, dedicação, compreensão, ética e perdão, tendo como viés principal a fraternidade e a caridade.

O comunicador Eurides Antunes Severo nascido em Rosário do Sul, no estado do Rio Grande do Sul, em 2 de agosto de 1932 nos deixou aos 85 anos de idade, no dia 22 do mês passado, em Florianópolis vitimado por uma doença cruel e desumana. Fui convidado por ele para ser colunista do site CAROS OUVINTES, onde pude mostrar minha verve literária. Aqui enumero um pouco de sua vida: “Na década de 1980, foi secretário de Comunicação do governo catarinense. Foi o primeiro presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADBV/SC) e empossado como Acadêmico pela Academia Catarinense de Letras e Artes em 2015.”.

Com colaboração do escritor e especialista em mercado da comunicação, Fernando Morgado, o quadro ‘O rádio faz história’ do programa Todas as Vozes em 12 de maio, apresentou dois trechos de uma entrevista que Eurides Antunes Severo concedeu a Walmir Matos, em março de 2015, para a Rádio da Assembleia Legislativa de santa Catarina, Antunes é uma das principais referências do rádio de Florianópolis e de toda a Região Sul do Brasil.

Homem íntegro, trabalhador, competente e grande estudioso do rádio fundou o Instituto Caros Ouvintes de Estudos e Pesquisa de Mídia. Trabalhou em diversas rádios em vários estados e também atuou como professor, assessor de imprensa, gerente comercial, gerente de marketing e diretor comercial de um jornal catarinense. Na década de 1980, foi secretário de Comunicação do governo catarinense. Foi o primeiro presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing de Santa Catarina (ADBV/SC) e empossado como Acadêmico pela Academia Catarinense de Letras e Artes em 2015.

Se fôssemos relatar todas as atividades do grande Eurides Antunes Severo com certeza precisaríamos confeccionar uma enciclopédia. Queridos amigos ausentou-se desse mundo de “Provas e Expiações” um grande amigo, um excelente ser humano, um primoroso pai de família e um grande profissional. Estamos nos referindo ao inesquecível Eurides Antunes Severo, brioso, educado, ínclito, de multifárias experiências na profissão que resolveu abraçar. A Majestade Divina lastreia todas as nuanças da nossa passagem terrena.

Os homens de bom coração se descortinam nas ações praticadas e no evolucionismo que a faina nos proporciona no dia a dia. A fé dissipa a dúvida e a hesitação liberta do sofrimento e nos leva para a terra da paz e da felicidade. A fé diminui nosso orgulho tornando-se a base da veneração. Quando alguém nasce rico ou adquire riqueza por qualquer meio, tem uma formidável oportunidade para beneficiar os outros. Eurides Antunes Severo não era rico, mas o era de coração e de atitudes.

Uma grande lacuna ficará no seio de seus familiares e amigos, mas a consolação virá pela fé e pelas preces e orações que servirão de remissão para que o amigo possa alcançar o descanso tão almejado por todos nós seres humanos. Saudade uma palavra que causa ansiedade, tristeza, melancolia é sinonímia de solidão acompanhada quando o amor ainda não foi embora, mas o amado já foi.

Saudade é amar um passado que ainda não passou é recusar um presente que nos machuca, é ver o futuro que nos convida, é sentir que existe o que não existe como diria um grande poeta, mas Eurides Antunes Severo ainda está entre nós, pois o amor que soube cativar fará com que sua presença seja sentida por sua esposa, filhos, netos, irmãos, familiares e amigos.

Quero em meu nome e de minha família desejar aos familiares do inestimável amigo que parte para outra missão, votos de apreços e estima. A verdadeira compaixão é livre de vinculações. O princípio da origem dependente ensina-nos que as coisas e os acontecimentos não existem sem uma causa. Eurides Antunes Severo cumpriu sua missão terrena e o Pai Maior resolveu chamá-lo para seu convívio, pois uma missão mais importante já estava prevista para ele.

Mesmo que seja difícil para nós aceitarmos o sofrimento que teremos que passar e a dor da ausência física uma conscientização deve pautar as nossas vidas, pois somente a fé, alicerçada no entendimento trará o lenitivo para os corações sofridos dos familiares e amigos de Antunes Severo.

Que o Pai Maior envolva as almas que perderam sua vestimenta carnal pela estagnação biológica, assim como também a todos os entes queridos que continuem neste orbe abençoado por Jesus. Um adeus querido e estimado amigo, ou um até breve, ou até quando Deus quiser.

Categorias: Tags: ,

Por Antonio Paiva Rodrigues

Bacharel em Segurança Pública, gestor de empresas e jornalista integrante das associações de Ouvintes e de Imprensa, do Sindicato dos Jornalistas e da Academia de Letras dos Oficiais da Reserva do Ceará. Poeta, ‘também autor de seis livros. Colunista do Caros Ouvintes tem se dedicado à pesquisa da história do rádio.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *