ISMAEL FABIÃO: UM OBSTINADO BUSCADOR DE AUDIÊNCIA

Ismael Barcelos Fabião, 49, pelotense de nascimento, chega a Florianópolis em 1983. Traz na bagagem os muitos louros conquistados em 20 anos de atividades como radioator, locutor, produtor e dirigente de emissoras de rádio e televisão. Missão gerenciar o Sistema de Rádio RBS em Santa Catarina. Desafio: inverter a pirâmide de audiência da Rádio Diário da Manhã AM 740, a pouco adquirida pela Rede Brasil Sul de Comunicação.
Por Antunes Severo

Sempre trabalhando em grandes emissoras Fabião somava a experiência de cinco anos obtida em duas das maiores emissoras de rádio do Rio de Janeiro, a Nacional e Mayrink Veiga a uma exitosa passagem pela TV Rio. A essa bagagem acrescentou mais 20 quando retornou a Porto Alegre e trabalhou como diretor de programação da Rádio Gaúcha e posteriormente da TV Difusora. Quando esta foi vendida para a Rede Bandeirantes, Fabião retorna a RBS e passa a dirigir a Rádio Farroupilha. Em seguida implanta e dirige as emissoras de rádio da RBS em Brasília até vir para Florianópolis, em meados de 1983.


Chefe de programaação da Rádio Gaúcha.

Os primeiros resultados
Em setembro Ismael Fabião assume a gerência do Sistema de Rádios RBS SC: Diário da Manhã AM e FM (hoje CBN Diário e Itapema, respectivamente) e as Atlântida FM de Florianópolis, Blumenau e Chapecó. As FMs iam bem, mas a Diário se arrastava entre os últimos lugares e isso era uma amargura para os brios da RBS, uma decepção para os ouvintes dos tempos gloriosos das décadas de 1950, 1960 e início de 1970 e um desafio para o experiente Ismael Fabião.


Superintendente de programação da TV Difusora, canal 9 de Porto Alegre.

Ao assumir a emissora Fabião detectou no quadro de locutores um jovem que se destacava. Walter Filho, comandava um programa de variedades pela manhã que soava forte na audiência quando ele com toda a vibração abria os intervalos com a saudação “Bom dia, dia!” e seguia fazendo brincadeiras, falando que nem metralhadora giratória, contando anedotas e chamando os ouvintes pelo nome.


Festa de aniversário na Rádio Gaúcha.

Fabião melhorou as condições de trabalho, incentivou e aumentou o horário de duração do Bom dia, dia. Pois era isso que o povo queria.
Seis meses depois, no início de 1984 a Diário chega ao segundo lugar. Em nota publicada na imprensa local a RBS informa que “o aumento de audiência foi de 6,8% para 27,9% considerando-se somente os aparelhos ligados”. E que em conseqüência “a emissora colocada em primeiro lugar (estava há dez anos nessa posição) teve diminuída sua diferença para a Diário AM de 47.8% para 12,2%”. No final do ano de 1984 a Diário da Manhã voltava a liderar a audiência de rádio na Capital, deixando o segundo posto para a ex-líder Rádio Santa Catarina, de acordo com pesquisa do IBOPE.


Diretor do Sistema de Rádios da RBS em Brasília.

E o sucesso continua
Consolidada a posição das emissoras de rádio da RBS, em maio de 1988 Ismael Fabião transfere-se para RCE – Rede de Comunicações Eldorado da família Freitas de Criciúma. Na nova organização assume o comando da rede de rádios onde começa balançando o coreto das FMs da região da Capital com a implantação e os níveis de audiência conseguidos com a Rádio Cidade FM 99,3 de São José. Segundo o próprio Fabião, nesse momento eram também líderes de audiências as FMs da RCE em Criciúma, Tubarão e Joinville.


Gerente do Sistema de Rádios da RBS Santa Catarina.

Rede Comunidade: novo projeto, novo desafio
O novo, o inusitado, o desconhecido sempre atraíram o aluno do Colégio Pelotense que começou fazendo pontas em historias radiofonizadas transmitidas pela rádio Cultura de Pelotas, onde depois também foi locutor. No Rio foi disc-jóquei, produtor e apresentador de programas humorísticos no rádio e na TV. Em Porto Alegre foi diretor e superintendente de programação das rádios Gaúcha, Difusora e Farroupilha e das TVs Difusora e Gaúcha. Em Brasília, em dois anos, implantou e dirigiu duas emissoras de rádio. Em Santa Catarina durante oito anos esteve sempre entre os primeiros. Agora, então era a hora de uma nova jornada.


Convenção Nacional da Rede Rádio Cidade.

O desafio da implantação da Rede Comunidade de rádios em todo o estado do Rio Grande do Sul, levou-o de volta a Porto Alegre. Pena que seu corpo cansado, desgastado pelas emoções de uma vida agitada não suportasse mais.


Fim de semana com família em Florianópolis.

Ismael Barcelos Fabião, em plena atividade profissional, foi surpreendido e morreu levado por uma isquemia cerebral dia 14 de fevereiro de 1993, domingo, às 19h30 no Hospital da PUC, em Porto Alegre. Ley, a esposa e Daiana a filha, residem em Florianópolis.


{moscomment}

Categorias: , Tags: ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

2 respostas
  1. Pedro Paulo Fernandes says:

    Sempre fui um fã ainda garoto aos 9 anos ouvia a belissima voz do Ismael Fabião pela radio Mayrink Veiga tenho até uma cópia do seu contrato com a radio Mayrink Veiga do Rio de Janeiro.Abraços a família do saudoso Ismael.

  2. paulo augusto says:

    SINCERAMENTE, UMA DAS PESSOAS MAIS JUSTAS E SINCERAS QUE PUDE CONVIVER EM FLORIANÓPOLIS, HUMILDE E MUITO EMOTIVO APESAR DO JEITÃO DE BRAVO E CARA FECHADA…
    UMA PERCA SIGNIFICATIVA A TODOS NOS

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *