Jairo Alvim Barbosa está chegando

Verdade, verdade o Vininho nunca se afastou daqui. O cidadão Jairo Alvim Barbosa até que andou passando temporadas em Curitiba, Rio de Janeiro, Buenos Aires, Lisboa e outras cidades de Além Tejo.  Mas, o Vininho – filho da dona Ivette e do Zininho, por mais longe que tenha andado como sombra de seu alter ego Jairo, jamais deixou que seu coração fosse, se quer tocado, por outro amor que não a sua Santa e Bela Catarina. Pois ambos voltaram – o Jairo para as lides profissionais e o Vininho para fazer o que mais deseja: tornar dispinível, através de todas as mídias possíveis, o acesso ao acervo deixado pelo pai e que se encontra sob a proteção da Casa da Memória da Fundação Cultural Franklin Cascaes. Para marcar nosso reencontro – firmamos o compromisso de produzir uma série de matérias fazendo a retrospectiva do Zininho, poeta, compositor, produtor e cantor de rádio sob os olhares da família e dos amigos particularmente do período que vai de 1950 a 1965. Para saudar esse propósito, resolvemos iniciar a série sob a perspectiva de outro personagem que também merece ser revisto e recontado: Luiz Henrique Rosa. Dele e interpretado por ele “Sambou, Sambou” e “Amor 6 x 0”. LP É Tempo de Música Popular Moderna. Rio de Janeiro. Philips do Brasil, gravado no auditório de O Globo no dia sete de agosto de 1964. (Acervo Jairo Alvim Barbosa).  Na próxima semana: Redescobrindo Zininho.

2 respostas
  1. Wasyl Stuparyk ou Basílio Junior (Rádio Guairacá) says:

    Saudades do meu amigo Zininho. Quando fui trabalhar em São Paulo, ele me substituiu na parte técnica da Master Estúdio de Som – 10º andar do edifício Ana Cristina, na praça Osório, em Curitiba – onde fez grandes e muito significativos trabalhos para a Rádio Independência, dirigida por Jair Brito. Na época, também compôs a música Dê Uma Rosa para o seu amor, interpretada por João Luiz Wildner e que foi o promocional de campanha que reuniu a Rádio Independência e entidade filantrópica de nossa cidade.
    Com a minha volta a Curitiba, Zininho já estava estabelecido com seu estúdio próprio, na rua XV de Novembro, onde tive o prazer de colaborar e passar muitas horas roubadas do meu trabalho – era então Supervisor de Produção e Promoção da Fundação Teatro Guaira – para ficar ouvindo histórias do Zininho e da sua querida e amada Floripa.
    Gostaria de ter um contato do Jairo Alvim Barbosa, pois tenho um site http://www.oradiodoparana.com.br que fala sobre as personagens que construíram a história do Rádio do Paraná, e o Zininho foi uma figura extremamente importante, não só como tecnico e compositor, mas principalmente pelo ser humano que foi e pelas inúmeras amizades que conquistou.
    Um abraço a todos e obrigado.
    Wasyl Stuparyk ou Basílio Junior da Rádio Guairacá

  2. Luiz Carlos Almeida de Araujo says:

    Esse Jairo Alvim Barbosa é o mesmo que andou pela Escola de Música da UFRJ? Caso positivo, gostaria que ele me contactasse. Grato e aguardando.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *