Jornalismo pode ajudar na expansão do Facebook

Facebook é um site e serviço de rede social que foi lançado em 4 de fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc. Em 4 de outubro de 2012, o Facebook atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos, sendo por isso a maior rede social em todo o mundo.

ETHEVALDO:  Até aqui o Facebook tem se expandido praticamente com como rede social. Mas seu sucesso é tanto que já interliga mais de 1,4 bilhão de pessoas. Isso equivale à população da China.

MILTON – E como você avalia o Facebook como empresa?

ETHEVALDO: O Facebook se transformou em um gigante em apenas 11 anos, Milton. E 70% de sua receita vem da publicidade. É claro que, comparado ao Google, o Facebook ainda é pequeno, pois sua receita não chega a 7% dos 60 Bilhões de dólares faturados pelo Google em 2014.

MILTON – Como você avalia o futuro do Facebook?

ETHEVALDO: Aí é que mora o perigo, Milton. O Facebook em breve também se transformará também em um polvo, com megaprojetos como o do WhatsApp, e o de uma internet de âmbito mundial. Seu projeto mais ambicioso, entretanto, é na área do jornalismo.

MILTON – Também no jornalismo? Com é isso?

ETHEVALDO: O Facebook iniciou na quarta-feira, dia 13 de maio, a publicação de artigos e matérias especiais de diversas revistas e jornais americanos e europeus. Uma dessas matérias era sobre abelhas, da Revista National Geographic.

Em breve, as melhores reportagens e artigos das principais publicações do mundo estarão disponíveis a todos os internautas do mundo em seus computadores, laptops, smartphones e tablets.

MILTON – E isso não é bom para todos nós?

ETHEVALDO – Sim, Milton. Mas, se de um lado é magnífico, isso nos poderá transformar em leitores potenciais de um único veículo virtual gigantesco e de alcance mundial, Milton.

E com o provável sucesso desse jornalismo virtual, o poder do Facebook ganhará uma força publicitária ainda maior e poderá crescer de forma incontrolável, como o Google tem crescido. E, para muitos analistas, isso traz riscos de uma possível seletividade do conteúdo que será distribuído a todo o mundo.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *