Jornalista critica ditadura imposta pela ACEESP

Brasília, DF, 22 (AFI) –Acredito que muitos radialistas, homens da área esportiva, acordaram atordoados com a medida da Federação Paulista de Futebol, com a conivência da ACEESP- Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo, de impedir que os repórteres ouçam os jogadores dentro dos gramados de futebol.

Opinião Futebol Interior: FPF e Aceesp, dobradinha perigosa

Tal privilégio está agora com os repórteres de Televisão. Ora, quem vai num campo de futebol, quer ouvir a palavra de seu ídolo ou dos jogadores através do Rádio dado a impossibilidade de se levar uma televisão para dentro dos Estádios.

O Rádio se tornou ao longo dos tempos, e vai continuar por muitas décadas, o maior veículo de comunicação do País. O rádio está nos botequins, no veículo, no banheiro, nas guaritas, nas portarias dos prédios e em todos os setores da comunidade, ou a ACEESP não sabe disso?

A entidade dos radialistas deveria se preocupar em proteger os seus filiados e abrir espaço para que todos possam exercer o seu legítimo direito de trabalhar. Como radialista, não gostaria que a ACEESP se tornasse o berço do desemprego na área esportiva.

Já basta a abertura para ex-jogadores que se aposentam com altos salários, e se tornam “comentaristas”, e não vejo a entidade tomar qualquer providência em relação a isso. Para que serve uma Faculdade de Comunicação?. O aluno sai de uma Universidade, na expectativa de se tornar um repórter, um narrador, um comentarista, mas não pode exercer a profissão porque a área está minada com muitos despreparados para tal mister.

É bom lembrar que a entidade dos Radialistas Esportivos de São Paulo, foi favorável à posição do Atlético Paranaense de cobrar das emissoras de rádio para transmitir os seus jogos. Parece que a ACEESP está atirando contra o próprio calcanhar,

Mas, como tudo está no começo, e talvez, na base da experiência, é o momento de uma reflexão mais sensata. Para isso, chamamos a atenção da ABRACE (Associação Brasileira dos Cronistas Esportivos) para que não abandone os seus filiados, e no Congresso coloque em pauta a real situação do Estado de São Paulo.

*Jaércio Barbosa
(Comentarista inscrito na ABCD-Associação Brasiliense dos Cronistas Desportivos)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *