Jornalistas poderão cobrir feiras e eventos sem sair da redação

MILTON – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Milton, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

MILTON – Ethevaldo, hoje é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro e você prometeu falar sobre o futuro das grandes feiras e eventos de tecnologia de 2025.

ETHEVALDO: Vamos lá, Milton. Imagine como os jornalistas de todo o mundo poderão cobrir a IFA Berlin 2025, onde estiverem.

Embora eu prefira estar fisicamente, presencialmente, nessa feira, em 2025, caso não possa viajar a Berlim, poderei cobrir este evento sem sair da redação ou de meu home office.

Bastará que eu disponha de uma sala de teleconferência e realidade virtual, com telas de Ultra Definição de grandes dimensões, imagens 3D em tamanho natural.

E ainda poderemos fazer entrevistas à distância, receber fotos, documentos, gráficos e vídeos.

MILTON – Mas o custo dessas instalações não será caro demais para um jornalista?

ETHEVALDO – Embora elas sejam caras hoje, Milton, tudo indica que, em 2025, essas tecnologias poderão estar acessíveis em muitas residências ou em médias empresas, em universidades, em centros comunitários, alugados para a cobertura de eventos internacionais.

A rigor essa experiência de 2025 é uma evolução do que já fazemos hoje nas salas de Telepresença, e com preços cada vez menores, mais acessíveis.

MILTON – Mas você reconhece que não é a mesma coisa que a cobertura presencial de um grande evento.

ETHEVALDO – Nada substitui a presença física, Milton. Mas, temos que pensar nos milhares ou milhões que gostariam de assistir a tudo e não podem viajar. A cobertura virtual à distância dará oportunidade a essa multidão de pessoas, profissionais de tecnologia ou jornalistas de todo mundo e usuários apaixonados.

MILTON – Até segunda.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *