José Valério Medeiros, a voz de Vanguarda

Introspectivo, caladão, fala mansa, o radialista José Valério Medeiros nasceu na localidade de Rio Deserto, município de Urussanga, no sul de Santa Catarina em 19 de março de 1941.

Posse de José Valério na presidência do SJPSC reuniu representantes da imprensa e autoridades: Mário Ignácio Coelho,Fernando Linhares da Silva; Antônio Kowalski, José Nazareno Coelho, ex-governador Ivo Silveira.

Posse de José Valério na presidência do SJPSC reuniu representantes da imprensa e autoridades: Mário Ignácio Coelho, Fernando Linhares da Silva; Antônio Kowalski, José Nazareno Coelho, ex-governador Ivo Silveira.

Ele faz parte da história da Rádio Diário da Manhã de Florianópolis, hoje CBN Diário, que no dia 30 de janeiro deste efervescente e caloroso ano de 2014, completa 59 anos de sua fundação. Mas, José Valério encontrou-se com o rádio em Criciúma, para onde sua família se mudou em busca de melhores oportunidades de estudo e de trabalho.

Ouça uma conversa informal entre Antunes Severo e José Valério

Estudante dedicado, possuir de voz privilegiada logo se sentiu atraído pela possibilidade de trabalhar na Rádio Eldorado de Criciúma, já naquela época uma das principais emissoras do Estado. Gostou da experiência, mas o salário era muito pouco. Conquistou uma vaga na agência local do Banco Indústria e Comércio de Santa Catarina – INCO pertencente ao mesmo grupo político da emissora e despediu-se do rádio.

José Valério aos 20 anos quando chegou à Capital.

José Valério aos 20 anos

Em 1960 foi sondado por Silveira Junior – integrante da diretoria do INCO – para voltar ao rádio, desta vez em Itajaí, onde se localizava a sede do banco que havia comprado a concessão da Rádio Difusora e estava fazendo forte investimento na emissora. A negociação não evoluiu, mas serviu para alertar que o futuro do rapaz estava no rádio e não no banco.

Pouco tempo depois foi transferido para a agência do Banco INCO de Florianópolis que funcionava na Praça XV de Novembro, no térreo do prédio onde estava instalada a Rádio Diário da Manhã, também de propriedade da família Bornhausen.

Conhecedor da chegada de José Valério, Aldo Silva, então diretor artístico da emissora, convidou para se transferir para rádio – que além de bom salário – era uma grande vitrine para o jovem locutor. O contato para trabalhar na emissora foi imediato e definitivo.

Teste marcado. Valério é convidado para fazer locução no meu horário (de Antunes Severo) para que a direção da emissora se decidisse sobre sua contratação. Animado com o desempenho do colega convidei-o para participar como entrevistado do programa Ponto de Encontro que eu produzia e apresentava diariamente das 11h30 ao meio dia.

José Valério Medeiros foi admitido nas funções de locutor, radioator e redator no dia primeiro de maio de 1961, onde permaneceu até 14 de julho de 1981. Ao assumir essas funções Valério demitiu-se do banco por sugestão de Aldo Silva, diretor de radioteatro da Rádio Diário da Manhã.

Nesses vinte anos ele aperfeiçoou seu trabalho sendo reconhecido como um dos profissionais de maior importância do rádio catarinense. Teve participação ativa nas entidades associativas do rádio e do jornalismo como um dos sócios fundadores da Associação Profissional dos Radialistas e chegando a ocupar a  presidência do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina (SJPSC), com mandato de 26 de agosto de 1981 a 1983.

Porém, seu grande destaque na vida profissional deu-se no radiojornalismo da Rádio Diário da Manhã onde atuou por vários anos ao lado de Adolfo Zigelli particularmente como um dos apresentadores do noticioso Vanguarda. Ambos fizeram uma dupla inesquecível no cenário da radiodifusão catarinense. Pois como se sabe, Adolfo Zigelli implantou o radiojornalismo profissional de qualidade indiscutível, embora trabalhando numa emissora pertencente a um grupo político-partidário, e José Valério valorizou essa conquista com o brilho de sua voz maravilhosa realçada pelos acordes sonoros do sonoplasta Augusto Mello, de saudosa memória.

Redação da Diário da Manhã: repórter não identificado, José Valério, Quintanilha, Rosendo Lima e Edwin Bauster.

Redação da Diário da Manhã: repórter não identificado, José Valério, Quintanilha, Rosendo Lima e Edwin Bauster.

1 responder

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] José Valério Medeiros, a voz de Vanguarda […]

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *