Lançado em Florianópolis livro que discute crise no jornalismo

“Questões para um jornalismo em crise” traz artigos de alunos da pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina. O professor Rogério Christofoletti é um dos autores e também o organizador da obra.

capa-livro-Questoes-para-um-jornalismo-em-criseUma certa tensão paira sobre o meio jornalístico nos últimos anos. Com a chegada cada vez mais forte de aplicativos, redes sociais e aparelhos supertecnológicos, o jornalismo precisa se reinventar quase na mesma velocidade. Muitas empresas têm feito demissões em massa; houve queda nas tiragens dos meios impressos; redução das verbas publicitárias e até fechamento de jornais e revistas.

O jornalismo não é mais como era antigamente. As empresas e os profissionais que se dedicam a ele são outros. E nem os públicos reagem da mesma forma diante do noticiário. Se tanta coisa mudou, qual a surpresa quando se fala de crise no jornalismo? Mais parece que ninguém na indústria estava preparado para transformações tão profundas e rápidas. Sob o signo da crise, é preciso não se apavorar, compreender o que está acontecendo, e enfrentar as consequências. Se o primeiro gesto depende de nervos de aço, para os seguintes se espera razão, estratégia e planejamento. Antes das respostas, vêm as perguntas, e este livro oferece treze questões intrigantes para quem se preocupa com o cenário. É um esforço entre muitos. Não para que o jornalismo volte a ser como era, mas para que ocupe novos sentidos e importância na vida contemporânea.

O diagnostico é de crise. Crise que não se limita à indústria jornalística brasileira. Está em todas as partes. Diante desse quadro, empresas, gestores e jornalistas se

??????dividem entre lamentos, desespero e busca de soluções. Essa discussão, por exemplo, aconteceu na aula do professor Rogério Christofoletti, na pós-graduação de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina. A partir disso, artigos foram produzidos por 19 mestrandos e doutorandos e reunidos no  livro. “Questões para um jornalismo em crise”, foi lançado pela Editora Insular nesta quarta-feira, às 19h30, no Tralharia Café? e Bar, no Centro de Florianópolis, seguindo o lançamento nacional durante encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo (SBPJor), em novembro, em Campo Grande/MS, “Sobre o assunto, quase não temos livros em português, então o tema chamou bastante atenção”, relata o professor Christofoletti.

As perguntas incômodas que servem de títulos aos capítulos sao endereçadas a profissionais, empresários do setor, servidores públicos e demais grupos interessados. São questões como “O que o futuro nos reserva?”, “A crítica da mídia pode ajudar a superar a crise?” e “Qual o papel das novas ferramentas na transformação do jornalismo?”, para o aprimoramento das práticas produtivas e para relações mais honestas de produtores e consumidores de notícias.

Os capítulos indagam, mas também arriscam respostas, mesmo que provisórias. Os temas são diversos: o convívio entre profissionais e amadores, newsgames, reportagens multimídia, icnografias interativas, a segunda tela, a convergência dos meios, redes sociais, novas audiências, ensino de jornalismo, críticas da média, privacidade e a natureza endêmica da crise. “A gente [jornalistas] ainda está na fase de fazer as perguntas certas sobre a crise, agora é mais importante acertar nas perguntas para ter um diagnóstico. É uma crise que o jornalismo não tinha sofrido até então. É aguda, intensa e de difícil resolução. Pega questões como confiança, credibilidade e financiamento. Não é de fácil solução”, aponta Rogério.

São autores do livro os jornalistas Adriano Araújo, Alexandre Bonacina, Alexandre Lenzi, Amanda Miranda, Ana Paula Bourscheid, Anna Carolina Russi, Carlos Marciano, Jéssica Gonçalves, Kérley Winques, Lívia de Souza Vieira, Magali Moser, Mariane Pires Ventura, Mauren Del Claro Rigo, Maurício Frighetto, Maurício Oliveira, Ricardo José Sékula, Ricardo Torres, Rogério Christofoletti, Tássia Becker Alexandre e Vinicius Batista de Oliveira. [ Com informações da editora e NDonline].

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *