Literatura Infantil: Sugestões de obras para as férias!

As férias chegaram e nada melhor do que incentivar as crianças à leitura, desse modo, o site Caros Ouvintes construiu uma lista de obras com excelente qualidade para que nossos leitores tenham a disposição sugestões para mergulhar junto com seus filhos e netos nesse universo tão rico da Literatura Infantil!

‘Felpo Filva’ é uma obra de grande criatividade, sendo que a autora Eva Furnari conta a história de Felpo, um coelho poeta que é bastante neurótico e escreve somente coisas depressivas e tristes. Certo dia, ele recebe uma carta de uma fã que discordava dos seus poemas e sugere para que ele seja mais otimista e escreva sobre coisas agradáveis. A partir disso, acompanhamos a troca de cartas entre os personagens e como Felpo recebe a influência de sua fã e tem seu modo de olhar o mundo modificado.

A história é contada através de diferentes gêneros, como por exemplo: poema, fábula, carta, manual, receita culinária e autobiografia. Vale destacar que o livro ganhou os seguintes prêmios: “Prêmio Jabuti de Melhor Livro Infantil, CBL 2007”, “Prêmio Altamente Recomendável, FNLIJ 2007”, “Prêmio Melhor Para Criança, Hors Concours, FNLIJ 2007”.

felpo

‘A árvore generosa’ é uma obra de rara beleza, em que o autor Shel Silverstein aborda temas como a amizade, o egoísmo, o altruísmo, o consumismo desenfreado e a destruição da natureza. Um livro que proporciona grandes reflexões, além disso, muitas emoções são despertadas no leitor. O autor trata as crianças de forma inteligente, fugindo dos clichês e apresentando uma história original. Item obrigatório aos fãs de uma boa história, não é à toa o fato de que esse clássico de 1964 foi capaz de comover diferentes gerações de leitores.

a

O Casaco de Pupa’ é uma história de sensibilidade ímpar, em que a autora Elena Ferrándiz conta a história de uma menina que metia-se no casaco de medos que usava desde pequenina e que foi crescendo com ela. O cerne da obra é sobre os medos que acabam deixando a menina cada vez mais isolada do mundo a sua volta, vivendo num estado de neurose. O livro proporciona muitas questões a serem refletidas, devido a sua profundidade.

es

Meu amigo Jim’, obra de Kitty Crowther, nos apresenta a história da gaivota Jim e do melro Jack, a relação entre as aves acaba causando um certo olhar de preconceito entre os que estão a sua volta, mas mesmo assim, isso não é o bastante para abalar a relação entre os dois personagens, que não se desgrudam um minuto. O livro abre espaço para discutir sobre o preconceito racial e a homofobia, sendo que após a leitura é impossível não levantar a seguinte questão: Por que infelizmente muitas pessoas ainda não conseguem aceitar e respeitar as diferenças?

ds

“Coisas importantes”, obra de Peter Carnavas, trata sobre a perda de um ente querido e como os familiares tentam seguir com suas vidas, cada um lidando da sua própria forma, uns tentam esquecer e se desapegar das lembranças, para que a saudade e a dor da perda não sufoque a alma, enquanto outros se agarram aos objetos deixados pela pessoa que partiu, tentando fazer com que os objetos físicos mantenham sempre viva a imagem da pessoa na memória.

‘Coisas importantes’ é , acima de tudo, uma história sensível e reveladora sobre as coisas que são importantes para cada um de nós. Peter Carnavas é um autor certamente diferenciado, portanto, indica-se não apenas esse livro, mas também seus demais trabalhos, como: “A caixa de Jéssica”, “Nossos livros” e “A Sara tem um grande coração”.

coisas importantes

 

“Elmer, o elefante xadrez”, obra de David McKee, explora a história de um elefante diferente dos outros, sendo que sua cor não é cinza, mas sim xadrez, com cores diversas. Esse fato acaba fazendo com que ele seja caçoado pelos demais, sentindo-se triste, ele tenta ao máximo se parecer com o restante do grupo, porém finalmente começa a perceber a perda de sua própria identidade e singularidade. O livro é excelente para debater questões relativas à diversidade, ao orgulho de sua própria identidade e a busca pela tolerância.

elefante xadrez

Agora não, Bernardo”, livro de David McKee, conta a história de Bernardo, um menino que busca a atenção de seus pais, porém os mesmos estão sempre ocupados com alguma coisa e acabam deixando a criança de lado. Até que surge um monstro no quintal, Bernardo pede a ajuda dos pais, mas eles não lhe dão atenção… Enfim, contar mais do que isso seria estragar a genialidade e a surpresa que a história nos proporciona. Item obrigatório aos fãs de Literatura Infantil, David McKee certamente construiu uma obra detentora de originalidade e também com uma complexidade maior para o público.

agora não, bernardo

“Tom”, livro de André Neves, explora a história de dois irmãos, um deles é Tom, um menino silencioso, que parece viver num mundo particular, despertando a curiosidade de seu irmão, que busca entender como funciona esse mundo, como Tom pode ser tão diferente dos outros e ter dificuldades para se comunicar e expressar seus sentimentos?

E é a partir da paciência e do amor, que o irmão descobre mais sobre Tom, e também passa a entender a necessidade de respeitar as diferentes personalidades. É interessante notar que o personagem Tom tem muitas características atribuídas aos autistas, desse modo, a obra nos faz entender melhor esse ‘mundo particular’, a entender assim como o irmão de Tom, a respeitarmos as diferentes características de cada um e buscarmos, ainda que seja difícil, fazer parte desse ‘mundo particular’.

tom

“O Homem que Amava Caixas”, obra de Stephen Michael King , antes de comentar sobre o livro, vale a pena falar um pouco sobre a história de vida do autor, que serve como exemplo de vitória e estímulo para todos nós. Stephen, aos nove anos de idade, ficou parcialmente surdo e refugiou-se no seu mundo interior- desenhando, pintando e expressando-se sem palavras. Anos depois, ele começou a trabalhar numa biblioteca infantil e pouco a pouco passou a compartilhar seu talento de ilustrador com as crianças que visitavam a biblioteca.

O autor nasceu em Sydney, Austrália, em 1963, onde vive até hoje com sua mulher e sua filha. “O Homem que Amava Caixas”, foi seu primeiro livro, sendo vencedor de inúmeros prêmios, além de ter sido publicado em diversos países. A história se concentra entre o pai que tem dificuldades em falar que ama seu filho, assim, ele busca demonstrar esse amor através de outro modo, que não seja através das palavras. As ilustrações, de um colorido vivo, complementam e enriquecem ainda mais o texto sensível e delicado.

o homem que amava caixas

Categorias: Tags: , ,

Por Wendell de Oliveira Albino

Natural de Florianópolis/SC. Graduado em Letras – Língua Portuguesa e Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC. Além do amor pela escrita, é fascinado pelo universo de HQs, Literatura Infantil, Literatura, Games, Cinema e Música. Tomou gosto pela leitura através de autores como: Clarice Lispector, Allan More, Frank Miller, Shaun Tan, Bukowski, Chacal, Jhon Fante, Bram Stoker e Kafka.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *