Livro se transforma em sucesso na sala de aula

Atraídos por história norte-americana, alunos despertam para novas fontes de leitura.

A tarde chuvosa de ontem fez lembrar Forks, cidade fictícia onde se passa a história de Crepúsculo. Para quem ainda não sabe (ou não convive com adolescentes), o livro da escritora norte-americana Stephenie Meyer virou leitura obrigatória para quem tem menos de 19 anos. A história de amor entre o vampiro Edward Cullen e a humana Isabella Swan é acompanhada pelo mundo inteiro. Crepúsculo virou best-seller no Brasil, Espanha, Alemanha, Itália, França e México. Mais que um fenômeno de vendas, o livro transformou-se em sucesso na sala de aula. Graças aos encontros e desencontros do casal incomum, muitos estudantes estão desenvolvendo o gosto pela leitura. Alunos que sequer conseguiam terminar os livros obrigatórios da escola, hoje passam as férias se deliciando com as quase 500 páginas criadas por Meyer. E o melhor: acabam atraídos por novas fontes de leitura.

A estudante do ensino médio Ana Luíza Andrade, 15 anos, sempre gostou de ler. Mas foi após Crepúsculo que passou a conhecer títulos como Romeu e Julieta, de William Shakespeare, O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë, e Orgulho e Preconceito, de Jane Austen. Os três foram citados por Stephenie Meyer nos quatro livros da série Twilighters. “No começo, achei as leituras difíceis. Mas depois me acostumei e agora eu amo. Li O Morro dos Ventos Uivantes duas vezes”, contou a adolescente. Suas notas em português e redação são sempre 9 e 10. Ela e os colegas de classe costumam conversar e trocar os livros já lidos. “Minha geração é muito focada na TV e no computador. Os livros ficam meio de lado. Mas com Crepúsculo isso está mudando”, apostou a menina.

A afirmação não é empolgação de adolescente. Segundo a professora de português Cristiane Abreu, a escritora norte-americana tem o mérito de atrair os jovens para os livros. “Vários alunos que antes detestavam ler, agora pedem listas de outros livros. Crepúsculo oferece a eles uma leitura simples e gostosa”, avaliou. O professor de literatura Jorge Alves disse que a leitura desse tipo de ficção fantástica é comum na adolescência. “Eles gostam dessas histórias de vampiros e lobisomens. E isso é bom. Com esses livrinhos, os alunos começam a desenvolver o prazer de ler. Mais tarde vão abandonar Edward e Harry Potter, por exemplo, para abraçar literaturas mais complexas”, comentou. Íris Borges, membro da Câmara Brasileira do Livro, concordou. “O segredo para atrair os jovens é incentivar a leitura do entretenimento”.

A leitura entre os adolescentes

– Os jovens brasileiros de 14 a 17 anos escolheram a leitura como 5ª opção para ocupar o tempo livre. Antes dela aparecem: ver televisão, ouvir música, descansar e ouvir rádio
– 50% dos adolescentes alegam falta de tempo para ler
– 55% leram um livro nos últimos três meses
– 11% afirmaram que não têm paciência para ler
– 34% dos jovens entrevistados disseram que a leitura era desinteressante
– Só 30% dos estudantes do país leem livros que não são obrigados pela escola
– A influência de amigos é o fator número 1 na hora de escolher um livro
– Uma hora e 56 minutos é o tempo dedicado pelos jovens à leitura de livros por semana
– A maioria dos brasileiros de 10 a 24 anos gosta de ler ouvindo música
– 50% dos livros lidos por adolescentes de 14 a 17 anos do Nordeste foram emprestados
– As revistas são as fontes de leitura mais procuradas. Em segundo lugar aparecem os livros e, em terceiro, os jornais.

Mirella Marques // Diario
[email protected]
Fonte: pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituto Pró-Livro

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *