Lola e Sushi

Parecia ser um casal. A intimidade, o companheirismo, o apego, afeto e brincadeiras. Não, casal assim, com toda essa união? São raros. Eram irmãos. Foram encontrados juntos na frente de um sítio na cidade de São João Batista. O casal que os encontrou, Cristiane e Telmo os acolheu e atendeu suas primeiras necessidades. Fome era a primeira. A saúde não estava nada boa. A adoção foi simples, simplesmente os amaram e acolheram, nada de papéis, entrevistas, análises. Claro que há casos e casos. Semanas depois eles estavam correndo por todo o enorme sítio. Os nomes vieram facilmente, Lola e Sushi. Não foi apenas o casal que se apaixonou por eles. A família e amigos também. Ninguém resistia ao carinho dos irmãos, difícil era dizer quem era o mais carinhoso. Talvez o Sushi, ou quem sabe a Lola. Sushi se tornou por conta própria um valente e talentoso caçador, mas se entregava aos carinhos dos visitantes do sítio.

Os dois sempre magrelos, ou talvez fosse a mais pura elegância. Lola preta e Sushi pardo.

Raça? Vira latas, da melhor qualidade. Por vezes Telmo e Cristiane chegavam no exato momento em que Lola e Sushi estavam descansando numa sombra. Mal ouviam o barulho do carro e entravam os dois no mato, fingiam estar caçando, tudo para agradar os donos. E lá somo donos de alguma criatura? Quanto mais as que vivem soltas e todas nasceram para viver assim.
Há poucos dias recebi uma triste notícia. Sushi morreu no “cumprimento do dever”. Para ele era. Picado por uma cobra não resistiu às rápidas tentativas do jovem casal de salvar sua vida.

Todas as pessoas que o conheciam sentiram muito. Mas Lola não se conformou. Por horas e horas não podia perceber a perda do irmão tão íntimo, tão próximo. Nos dias seguintes Lola andava pelo mato latindo, uma de suas maneiras de se comunicar. Procura sem cansar, sem desistir. Ela já não brinca como antes. Continua carinhosa, mas por vezes abandona o agradável carinho e corre para o mato como fez por uns dois anos ao lado de Sushi. Se alguém acha estranho sentir saudades de animais como esse cachorrinho é porque ainda não experimentou os afagos e delicadezas dessas criaturas que dão de si muito mais do que pedimos, mais do que merecemos.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *