Luiz Flávio, boêmio, romântico, apaixonado

Cantor das noites cálidas, dos encontros amorosos, dos programas de auditório e das serestas na madrugada, são lembranças de um tempo irrecuperável.

Luiz Flávio

Irrecuperável, porém jamais olvidado. Tendo o privilégio de estar vivendo desde os anos de 1950, eu me sinto na – diria, na obrigação – de evitar qualquer tentativa de comparar os dias em que Luiz Flávio viveu cantando entre nós, nas décadas de 1950/1960, com os dias que hoje nos acodem trêmulos e inseguros. Pois, como disse Charles Rosen, em seu livro de 1927, “Poetas românticos, críticos e outros loucos”, “As palavras não ficam paradas. Alteram seus significados, deslocam-se do elogio para reprovação, corrigem suas associações. Em nenhum momento as palavras se tornam tão escorregadias como no início do período que às vezes chamamos romântico”.

Luiz Flávio nasceu em Joinville no dia 27 de maio de 1935 e veio com a família – pai, mãe e duas irmãs – para Florianópolis no início dos anos 1950. Dono de uma voz privilegiada começou a cartar canções românticas. Primeiro entre os amigos e colegas de colégio, depois em eventos familiares. Daí foi ampliando o seu universo até chegar aos microfones das rádios Guarujá e Diário da Manhã. Iniciou na Guarujá, mas logo transferiu-se para a Diário da Manhã onde manteve um programa semanal por vários anos. Luiz Flávio morreu no dia seis de fevereiro de 1991.

 da esquerda para a direita: Alda Jacintho (radioatriz), Edgard Bonassis (locutor e radioator), Edi Santa (cantora), Sílvio (músico) Álvaro (músico), Neide Maria (cantora, locutora, radioatriz), Tereza Maria (radioatriz), Tida (músico), Aldo Gonzaga (músico/maestro), Demaria (músico). Sentados: Luiz Flávio (cantor), Zequinha (músico), Janine Lúcia (radioatriz), Felix Kleiss (radioator)Jairo Silva (cantor).

da esquerda para a direita: Alda Jacintho (radioatriz), Edgard Bonassis (locutor e radioator), Edi Santa (cantora), Sílvio (músico) Álvaro (músico), Neide Maria (cantora, locutora, radioatriz), Tereza Maria (radioatriz), Tida (músico), Aldo Gonzaga (músico/maestro), Demaria (músico). Sentados: Luiz Flávio (cantor), Zequinha (músico), Janine Lúcia (radioatriz), Felix Kleiss (radioator)Jairo Silva (cantor).

Neste registro, graças a colaboração da irmã Yone Souza Dutra, incluímos três interpretações de Luiz Flávio feitas num programa especial de aniversário da Rádio Diário da Manhã, em 1960 quando cantou Marimba (Autor desconhecido), Adeus Guacira de Hekel Tavares e Joracy Camargo, e Pierrot de Joubert de Carvalho e Pachoal Carlos Magno. A locução é do apresentador e diretor da emissora Aldo Silva.

“Marimba” de CD Luiz Flávio por Luiz Flávio. Lançado: 2007. Faixa 1 de 3. Gênero: Bolero.

“Adeus Guacira” de CD Luiz Flávio por Luiz Flávio. Lançado: 2007. Faixa 2 de 3. Gênero: Canção.

“Pierrot” de CD Luiz Flávio por Luiz FlávioC. Lançado: 2007. Faixa 3 de 3. Gênero: Canção.

Categorias: Tags: , , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *