Marco Vasques: toda grande arte vai além de questões morais

A afirmação é do poeta, contista, crítico de teatro e literatura Marco Vasques autor do livro que completa a chamada trilogia das ruínas.

marcovasques“Eu como escritor, prefiro que a minha obra fale por mim”. A frase, pronunciada por Marco Vasques, ao ser anunciada sua palavra no lançamento do livro anatomia da pedra & tsunamis, reflete o estilo enxuto do autor pensar e escrever.

“Como se posicionar diante de Anatomia da Pedra & Tsunamis, este canto compacto, sólido, que se estende por 30 poemas que nasceram a partir da reverberação de uma tragédia: o terremoto que ocorreu no Haiti, em 2010?”, pergunta o também poeta e crítico de teatro Rubens da Cunha no prefácio do livro lançado nesta noite de quinta-feira, 15/5, na Fundação Badesc, em Florianópolis.

Precederam o livro que acaba de ser lançado: Elegias Urbanas (2005, Editora Bem-te-vi) e Flauta sem boca, 2010, Letras Contemporâneas).

Acrescenta Rubens: “Os três livros se conectam e dialogam sobre e a partir da luta do poeta contra o estado de pedra, de aço e de metal em que a vida humana se encerrou”.

Marco Vasques é cronista semanal e crítico teatral do Jornal Notícias do Dia. Já foi colaborador dos jornais A Notícia, Diário Catarinense e Rascunho, entre outros. É editor da revista Osíris Literatura e Arte ao lado do poeta Rubens da Cunha. É, também, editor do Suplemento Cultural Santa Catarina [ô catarina], da Fundação Catarinense de Cultura.

Anatomia da pedra tem prefácio de Rubens da Cunha, ilustrações de Carol Silva, produção e execução de Amanda Corrêa da Silva, capa, projeto gráfico e diagramação de Moysés Lavagnoli, e revisão de Amanda Corrêa da Silva e Denize Gonzaga. Editora Redoma, 2014.  Contato: [email protected]

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *