Menestrel Valdir Agostinho terá show no CIC dia 01/11

Somando na sua vida 50 anos de ativismo cultural – pandorga, artes plásticas, música e defesas pela ecologia e tradições culturais da Ilha, Valdir Agostinho vai ganhar uma demonstração de reconhecimento a altura de sua trajetória.

Um grupo de músicos, gente da cultura e amigos acha que isso precisa – e vai acontecer. Valdir ganha um espetáculo no palco do CIC, dia 01.11.2019, às 21h.

Manezinho da Barra da Lagoa, Valdir Agostinho é um dos mais importantes representantes da cultura popular da Ilha de Santa Catarina. Artista plástico, músico, compositor, cantor, educador, ativista ambiental e até apresentador de TV. Agostinho celebra todas estas facetas com quem tem o privilégio de conviver no seu cotidiano, onde ganham importância a simplicidade e a alegria.

Manezinho da Barra da Lagoa, Valdir Agostinho é um dos mais importantes representantes da cultura popular da Ilha de Santa Catarina

Filho de pescadores, Valdir nasceu e cresceu na Barra da Lagoa, um dos redutos mais preservados em relação às tradições culturais do açorianismo, tais como o folclore e a pesca. Aos tenros 4 anos de idade ele incorporou à sua vida um objeto que o simboliza até hoje: A pandorga.

A música entrou com força na vida do pandorgueiro aos 15 anos, quando comprou o primeiro violão. Foi um processo meio natural, já desde a infância o contexto musical na sua casa sempre foi muito forte, embalado por cantorias como o terno de reis, boi de mamão, a bernunça e demais temáticas do folclore ilhéu mais autêntico.

Tímido no relacionamento com as pessoas, é no palco que Valdir se transforma, vira um turbilhão de cores, caretas, coreografias e ritmos. As suas composições ecológicas brincam com irreverência, as rimas construídas com alegria reinventam a psicodelia, o universo marinho, seres imaginários e o folclore da ilha, tudo ao ritmo de muito reggae e rock and roll.

Agostinho liderou a banda Bernunça Elétrica para apresentar suas composições. Em 1998 lançou um CD, A Hora do Mané”, produzido pelo guitarrista Guinha Ramirez, no qual mistura temas regionais com música popular.

Um de seus desempenhos de maior sucesso é como intérprete do “Reggae da Tainha”, letra de Julio Cesar Cruz, música do Valdir e produção musical e arranjos  de Gazu e Luiz Maia. São vinte trocadilhos com nomes de peixes e frutos do mar cantados pelo Agostinho, com certeza, o melhor intérprete para uma canção totalmente identificada com as coisas que  ele preserva ao longo de sua carreira. Este hit se transformou em um clipe dirigido pelo cineasta Zeca Pires.

Equipe:

VALDIR AGOSTINHO

Bernunça Elétrica:

Luiz Maia -baixo

Guilherme Ledoux-bateria

Luciano Py- teclados

Zé Ernani Martins – guitarra

Músicos convidados: Guinha Ramires, Stonkas (Luiz Maia, Marcus Rocha, Luciano Fadel, Flavio Santiago, Murilo Naspolini, Duda Machado e Caio Cezar), Claudia Zininho, Nani Lobo, Gerry, Gazu e Alexandre Iron.

O SHOW

Direção musical: Luiz Maia

Direção de arte : Maurício Muniz

Cenários e figurinos: Valdir Agostinho, Mauro Costa e Maurício Muniz

Direção do espetáculo : Tatiana Cobbett

Assistente de direção: Murilo Naspolini

Fotografia : Cleide de Oliveira

Direção de imagens: Zeca Pires

Assessoria de Imprensa: Marcos Heise

Design gráfico: Alexandre Wisentainer

Social midia: Raphaela Gaspar

Produção executiva: Murilo Naspolini

Assistente de produção (comercial) : Daniela Koerich

Assistente de produção : Nilce Silva

Assistente de produção (comercial e divulgacão): Tuane de Mattos

Contador: Jefferson de los Santos

Consultoria: Marisa Naspolini e Luciano Py.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *