Meu nome é Guizzo e eu sou músico de rua

Os sons que vêm da rua fascinam poetas, músicos, estudiosos, pesquisadores e curiosos, mas também passam despercebido pela grande maioria dos comuns. Há, inclusive, os que evitam a proximidade com o músico de rua por considera-lo sem qualquer valor.

guizzo

Eles, entretanto, fazem parte do cenário urbano desde tempos imemoriais. E nas cidades modernas, chegam a ocupar lugares de destaque. Em Florianópolis eles ainda são poucos e se restringem às proximidades do Mercado Público Municipal.

Na terça feira, 08/10, conheci um veterano que a quase meio século se apresenta cantando o cancioneiro popular brasileiro e internacional entremeado de canções que ele mesmo criou, toca e canta.

Músico profissional, desde os 17 anos, largou as convenções, os prazeres fáceis das noites boêmias, os compromissos familiares e hoje vive da complacência pública e das moedas que recebe e agradece com o melhor sorriso de sua maltratada carcaça. No podcast, um pouco do que resta do meu amigo Guizzo, o filósofo e bem intencionado músico de rua.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *