Mídia Sul 2013 supera expectativa de participantes

midia-sulA quinta edição do Seminário de Marketing e Comunicação – Mídia Sul 2013, iniciado na quinta-feira, no centro de eventos do Sistema Fiesc, em Florianópolis, encerrou na sexta, 27/9. Um público superior a mil inscritos participou do evento, entre profissionais, estudantes e empresários do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

“Foi mais um sucesso na história do seminário, pois cumprimos com o objetivo de apresentarmos novidades, tendências, conteúdos relevantes, tudo para contribuirmos com nosso mercado”, avaliou João Carlos Bordin, coordenador do Mídia Sul. O próximo será em setembro de 2015.

Na primeira palestra, Marcos Piangers, integrante do programa Pretinho Básico (rádio Atlântida FM), fez um relato aprofundado de sua participação, em março, no South by Southwest (SXSW), um dos mais importantes festivais do mundo, que reúne música, cinema e interatividade, em Austin, no Texas (EUA). “O que está acontecendo é uma nova revolução industrial”, comparou, ao falar das novidades que estão por vir, como a computação vestível que promete acabar com o PC (o personal computer), a computação ambiental, o fim do dinheiro de papel e a impressão em 3D, entre outras, que devem mudar a forma como nos relacionamos com o mercado. Entre as personalidades autoras de novos conceitos, Ele destacou Tim Reis, do Google, que desenvolve o futuro multitela e a ideia da publicidade com contexto, ou seja, aquela que respeita o contexto e a intenção do usuário.

O publicitário Igor Puga abordou os novos paradigmas da comunicação para mídias e agências de propaganda na segunda palestra do dia. Também participante do SXSW, ele apresentou abordagem menos tecnológica sobre o que viu e ouviu no festival. Puga elencou uma série de desafios a serem enfrentados pelos profissionais do setor, como a fluidez nas relações entre anunciantes e as agências.  “É preciso que seja feita uma reinvenção das relações com as agências, que precisam ser mais proativas do que reativas”, disse.

Na terceira palestra, o diretor comercial da Rede Globo em São Paulo, Carlos Henrique Nascimento mostrou que a TV aberta continua crescendo em audiência no Brasil e que os grandes eventos dos próximos anos, Copa do Mundo e Olimpíadas, vão mexer com a economia e representar uma oportunidade grande de recuperação para muitos mercados.

O crescimento do meio TV no bolo publicitário brasileiro passou de 55% em meados da década de 1990 para os 65% verificados no ano passado. “O tempo médio do brasileiro em frente à TV é de cinco horas diárias e ele é inteligente e sabe o que quer consumir”, ressaltou.

Nascimento falou sobre a importância dos mercados regionais para a rede e explicou que até 2020 será preciso dobrar o número de municípios brasileiros necessários para que seja atingida 75% da classe média, maior potencial de consumo no país.

O diretor do Instituto do Futuro da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Álvaro Furtado de Oliveira Novaes, fechou o ciclo de palestras com uma dose de otimismo na evolução do cenário da comunicação nos próximos anos. Para ele, a capacidade inventiva do ser humano, “é a única coisa que me interessa, gera mudanças e define o que vai acontecer no futuro”. Novaes destacou que os produtores de conteúdo, sejam jornalistas, publicitários ou escritores, devem ter em mente que ao contarem suas histórias são capazes de abrir as portas para o futuro. E observou que os contadores de histórias devem levar em conta o protagonismo dos veículos de comunicação no momento de escolher o mais adequado para atingir as pessoas. O publicitário lembrou ainda que o cérebro humano possui uma plasticidade capaz de manter-se em desenvolvimento ao longo de toda a vida do indivíduo. “A Internet transforma o seu cérebro”, observou, enquanto mostrava exemplos das mudanças no design dos sites ao longo do tempo, apostando no reforço da simplificação do design presente na Internet.

O Mídia Sul 2013 foi promovido e realizado pelo Instituto do Desenvolvimento do Turismo, Esporte e Cultura (Idetec), em parceria com o Sindicato das Agências de Propaganda de Santa Catarina (Sinapro/SC). E com apoio da Fiesc, Associação Brasileira das Agências de Propaganda (Abap/SC), Associação dos Jornais do Interior (Adjori), Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB/SC), Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Associação dos Profissionais de Propaganda (APP/SC), Grupo de Mídia/SC, Grupo Digital SC (GDSC) e Caros Ouvintes – Instituto de Estudo e Pesquisa de Mídia. Mais informação.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *