Mira o carro que o Zé Pfau ganhou

A primeira caranga do Pfau

Conheço o Zé Pfau como publicitário, criativo e dono de agência de propaganda desde o início de sua carreira na década de 1970. Depois, em 1980 trabalhamos juntos na TV Coligadas de Blumenau. Eu gerente executivo, ele gerente comercial. Firmamos sólida amizade e sempre estamos nos correspondendo – ele é uma das fontes para minhas pesquisas nas áreas de propaganda e televisão em Santa Catarina. Mas, o Zé Pfau – como agora se auto definiu – tem mil e outras especialidades: é tarado por miniaturas de motocicletas que ele mesmo faz geralmente com peças de relógios analógicos e já participou de uma pá de exposições em vários estados e tem seguidores em muitos países que o acompanham nas suas divulgações por meio da internet. Hoje o Pfau está com uma saborosa crônica no blog do Adalberto Day. Clique no link. Vai!

Categorias: , Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

1 responder
  1. Adalberto Day says:

    Antunes Severo
    Seu comentário sobre o nobre amigo “Zé Pfau” compartilho com o mesmo teor e digo mais, um grande amigo, incentivador, e de muita responsabilidade com a cidade. Pfau é do tipo de pessoas sabem representar com intusiasmo e com muita sabedoria, as transformações necessárias para nossa cidade.
    Agradeço ao senhor também pela postagem em Caros Ouvintes.
    Antunes Severo outro amigo que admiramos muito, e que agradeço por ter me presenteado com seu belo livo – Memória da Radiodifusão Catarinense, livro que faz parte de meu acervo para consultas e recomendo a todos catarinenses.
    Abraços
    Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *