Morre Ramiro Gregório da Silva, um dos mais importantes radialistas de Joinville e de SC

Menos de um mês antes de completar 83 anos, faleceu na manhã desta quinta-feira em Joinville o radiodifusor e radialista Ramiro Gregório da Silva.

Ele estava internado alguns dias na UTI do Centro Hospitalar Unimed devido a complicações do Mal de Alzheimer, doença que o mantinha a maioria do tempo em seu apartamento no centro da cidade.

Qualquer relato da radiodifusão de Joinville tem que dedicar um capítulo para Wolfgang Brozig, J. Gonçalves e Ramiro Gregório da Silva. Nascido em Pomerode, de família pobre, Ramiro começou no rádio em Curitiba. No início dos anos 1960 foi convidado por J. Gonçalves para organizar e inaugurar a Rádio Cultura, a segunda emissora de Joinville.

Mais tarde fez o mesmo com a Cultura FM em 1979. Sócio-cotista da Rádio Cultura, foi muitos anos diretor da Acaert (Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão) e seu presidente no biênio 83/84. Também por muitos anos integrou a diretoria da Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão).

Ramiro Gregório da Silva – Paulo Martini/Arquivo pessoal

Nos anos 1960 e 1970 fez da Rádio Cultura AM uma das mais modernas do país. Com respaldo da Fundição Tupy, dona da emissora, contratava famosos radialistas de São Paulo e contava com equipamentos (como seu transmissor) iguais aos das principais rádios do mundo.

Durante sua gestão , que durou mais de 30 anos, Ramiro sempre privilegiou o jornalismo e as coberturas esportivas na Rádio Cultura. Depois de sua saída da emissora, fundou uma FM em Barra Velha e depois apresentava à noite programa de variedades na Colon FM (89,5). Estava afastado do rádio há mais de 10 anos.

Da Coluna de Luiz Veríssimo (Notícias do Dia, 13/07/2017)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *