Morreu Renato Schaitza

O jornalista Renato Schaitza morreu aos 70 anos na última segunda-feira, em Curitiba. Ele trabalhou em TV e em O Estado do Paraná. Por Joyce Carvalho e Mara Andrich

Também foi um dos responsáveis pelo programa Show de Jornal, exibido entre 1968 e 1976 na TV Iguaçu. Deixou viúva Dione Gomes Schaitza. O enterro foi realizado ontem pela manhã no Cemitério Municipal São Francisco de Paula, em Curitiba.

O filho Erich Schaitza lembra que o pai, apesar de ser bacharel em Direito, era um homem da mídia. “Ser jornalista era a profissão de coração dele”, afirma. Ele trabalhou em televisão, rádio e jornal. Também teve passagens pela publicidade. Há 15 anos parou totalmente com o jornalismo e passou a se dedicar às leituras e à família.

O jornalista Jamur Júnior, que trabalhou com Schaitza na época do Show de Jornal, conta que os dois tinham uma relação de irmãos, além de serem companheiros de pesca.

“Não perdi só um amigo. Perdi um irmão. Era uma figura muito querida. Profissionalmente, ele foi um dos maiores da imprensa do Paraná. Contribuiu muito para a televisão. Na época do Show de Jornal, Schaitza formou um novo jornalismo para TV, com uma produção mais intimista, mais coloquial. Tinha um humor fino, crítica, comentários. O programa tinha 90% da audiência”, comenta.

Também jornalista, Mussa José Assis, que atuou durante anos há frente da direção de redação de O Estado, diz que Schaitza era um profissional brilhante, que tinha sensibilidade de jornalista.

“Ele tinha o melhor texto da sua geração. Como pessoa, destaco seu caráter e educação maravilhosos”, afirma. Mussa lembra, ainda, que o amigo lutou contra a doença durante 20 anos, e que isso o afastou das atividades profissionais. “Ele dizia que o jornalista não podia escrever apenas eventualmente, tinha que escrever sempre”, comenta Assis.

Além de trabalhar na TV Iguaçu e no jornal O Estado do Paraná, Shaitza também foi funcionário da Assembleia Legislativa do Paraná e no Tribunal de Justiça. Outro jornalista que foi grande amigo de Schaitza foi Luiz Manfredini, que também trabalhou no Show do Jornal e em O Estado.

Ele lembra que o amigo foi o responsável por uma linguagem leve, elegante e ao mesmo tempo bem-humorada na televisão, uma vez que se tratava de uma época conturbada politicamente.

“Era uma época em que o texto era muito importante na TV, pois os recursos técnicos eram primários. E essa linguagem bem humorada contagiava o público, todos queriam saber o que iria dar no Show do Jornal à noite”, conta Manfredini.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *