Mudanças no governo não devem alterar o setor de telecomunicações

MILTON – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Milton, bom dia, ouvintes. Tudo ótimo.

MILTON – Ethevaldo, que previsões você tem hoje para o setor de telecomunicações, no início de um novo governo?

ETHEVALDO – Para as telecomunicações, a mudança de governo será, com certeza, mais do mesmo, Milton. Quanto às ideias do ministro das Comunicações Ricardo Berzoini, eu prefiro esperar que ele tome pé da situação, conclua a formação de sua equipe e diga a que veio.

Na área regulatória, com Berzoini, as alas mais radicais do PT se enchem de esperança na discussão de um novo marco regulatório para todas as comunicações – que incorpore o polêmico projeto de “controle social” da mídia.

MILTON – E quanto aos investimentos na infraestrutura setorial?

ETHEVALDO: Nessa área, as coisas estão mais claras, até porque esses investimentos não dependem do governo e sim das operadoras privadas. O que se espera é que essas empresas invistam aquilo que é, realmente, necessário para descongestionar a rede de celular e melhorar sensivelmente a qualidade dos serviços.

A previsão inicial é de que os investimentos em toda a infraestrutura de telecomunicações em 2015 superem os R$ 20 bilhões, aí incluídas as áreas de telefonia fixa, de telefonia móvel, banda larga, comunicações de longa distância e outras.

MILTON – E qual é o cenário mundial para as telecomunicações em 2015?

ETHEVALDO: Segundo a consultoria IDC, os serviços de telecomunicações deverão ganhar ainda mais força com um crescimento da ordem de 13%, com destaque para muitos novos softwares de aplicativos.

Aliás, Milton, as redes de telecomunicações tendem a tornar-se cada dia mais sofisticadas e inteligentes, com a multiplicação dos aplicativos.

MILTON – Até amanhã.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *