Música marca o mês de julho do Teatro Sesc Prainha

A programação traz atrações para todos os públicos, sempre com entrada franca.

Circuito-Sesc-de-Música

O Circuito Sesc de Música abre a programação cultural do Teatro Sesc Prainha de julho. Em formato de minifestival, o projeto que percorre 25 cidades catarinenses, chega à capital com shows autorais gratuitos das bandas Brass Groove Brasil (04/07), Arnou de Melo Quarteto (05/07) e Os Skrotes (06/07), sempre às 20h. Há 13 anos na estrada, o Circuito mapeia o que há mais contemporâneo nesta linguagem em Santa Catarina, e permanece como único projeto que promove a circulação e difusão de grupos locais.

Inspirada nas brass bands de Nova Orleans (Estados Unidos), a Brass Groove Brasil destaca em sua formação composições e arranjos com um toque refinado dos instrumentos de sopro e na sua sessão rítmica uma pulsação contagiante. O Arnou de Melo Quarteto apresenta o show “Fantasia”, com o trabalho autoral e instrumental do contrabaixista, produtor e diretor musical Arnou de Melo. Classificados pela crítica local como instrumental junkie, a banda Os Skrotes realiza o show “Nessun Dorma”, com estilo experimental e mixagem de gêneros distintos como samba, drum’n’bass, punk, jazz, música clássica e metal.

Outro destaque musical é a cantora baiana Glória Bomfim, considerada uma das vozes mais expressivas do samba na atualidade. Representante da cultura dos terreiros de candomblé, ela impressiona ao interpretar suas raízes. Ela apresenta shows nos dias 11 e 12/07 (sáb e dom), às 20h, acompanhada pelo maestro Rafael Mallmith e pela banda Samboremba, formada pelos músicos Raphael Galcer, Gustavo Lopes, Jandira Souza, Júlia Maria, Dôga e Bidu Campeche. A abertura do show será com o axé do grupoCasa de Santo, composta por Elaine Sallas, Dôga e Raphael Galcer.

Em turnê estadual na Rede Sesc de Música, o catarinense Dudu Filet, apresenta no dia 25/07 (sáb), às 20h, o solo “Amizade”, com músicas de Alegre Corrêa e outros compositores catarinenses, além de releituras de sucessos como “Trem das Onze”, de Adoniram Barbosa e “Tente Outra Vez”, de Raul Seixas. Natural de Armazém, no Sul do estado, o artista ganhou destaque nacional pela sua participação no programa The Voice Brasil, da Rede Globo (2013/2014). Com 30 anos de carreira, já foi vocalista das bandas “Os Marcianos”, “Voo Livre”, “Zawajus”, “Grupo Nativos” e “Ecleticools”.

A programação traz ainda apresentações de teatro, workshop de VJ e performance com Bruno Bez. Os ingressos gratuitos são distribuídos uma hora antes de cada apresentação – sujeito à lotação. A Unidade do Sesc está localizada na Travessa Syriaco Atherino, 100, no centro da capital catarinense. Mais informações sobre a programação: (48) 3229.2200.

AGENDA

04/07 (sáb), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Circuito Sesc de Música – Brass Groove Brasil (Florianópolis/SC)
Sinopse: A Brass Groove Brasil nasceu em meados de 2011 com uma proposta diferenciada no Estado de Santa Catarina, destacando em sua formação composições e arranjos com um toque refinado dos instrumentos de sopro e na sua sessão rítmica uma pulsação contagiante. Iniciou tocando os standarts de jazz em um tributo a New Orleans e com o entrosamento nos shows e nos ensaios viu a presença da música brasileira, tanto nos arranjos quanto nas interpretações. A cada música composta apresenta diferentes influências, que vão do Funk ao Ijexá, ao Baião e ao Samba, evidenciando a música afro-brasileira.

05/07 (dom), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Circuito Sesc de Música – Arnou De Melo Quarteto (Itajaí/SC)
Sinopse: Arnou De Melo, contrabaixista e compositor apresenta neste Show seu trabalho intitulado “Fantasia” e músicas do seu novo projeto “Monções”. Neste concerto autoral, Arnou apresenta seu novo grupo, “Arnou De Melo Quarteto”, acompanhado pelos músicos Willian Goe – Bateria, Edilson Forte (Tatu) – Piano, Gledison Zabote – Saxofone. Classificação etária: 12 anos

06/07 (seg), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Circuito Sesc de Música: Os Skrotes (Florianópolis/SC).
Sinopse: Classificados pela crítica local como instrumental junkie, o show é uma possível experiência plástica sonora, tamanha mistura de gêneros e texturas musicais em uma mesma peça.Nelas é possível detectar influências de punk, jazz, metal, música clássica, eletrônica, samba, funk, salsa, porém não servidos separadamente. É muito mais um caldeirão onde se cozinha todo o tipo de especiarias ao mesmo tempo. É culinária non sense, com sabores diversos, temperaturas extremas e resultados supreendentes. Sua sonoridade resulta do entrosamento entre o contrabaixo de Chico Abreu, os teclados e sintetizadores de Igor De Patta e a bateria de Guilherme Ledoux.

09 e 10/07 (qui e sex), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Espetáculo “Hipocôndrio”, com Coletivo Transtorno (Florianópolis / SC)
Sinopse: Hipocôndrio é a vida e morte de Adriano Leiva Cunha. Homem marcado pela saúde frágil, Adriano encontra na composição e na métrica sua tentativa de organizar o mundo. Se isso acaba no fim pra quê que serve o meio?

11 e 12/07 (sáb e dom), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Show com Glória Bomfim (Rio de Janeiro / RJ)
Sinopse: A convidada de honra de julho é Glória Bomfim! Ela virá com uma das mais expressivas e autênticas vozes e seu canto primitivo, forte, verdadeiro e absolutamente intuitivo. Glória, nas apresentações intimistas do Teatro Sesc Prainha, nos inundará do melhor do afro samba e samba de roda da Bahia. Glória Bomfim e seu maestro, Rafael Mallmith, estarão acompanhados da banda Samboremba, formada pelos músicos Raphael Galcer, Gustavo Lopes, Jandira Souza , Júlia Maria, Dôga e Bidu Campeche. A abertura será com o axé do Casa de Santo, composta por Elaine Sallas, Dôga e Raphael Galcer.

22 e 23/07 (qua e qui), 19h às 21h, no Sesc: Workshop de VJ, com Bruno 3ez (Florianópolis/Berlim)
Sinopse: Adepto de uma plataforma modular em tempo real, Bruno Bez expõe seu conhecimento criativo partindo do nível básico, apresentando seus principais recursos, como também uma orientação na montagem de uma solução dinâmica para uma apresentação na prática de vídeo ao vivo. Natural de Florianópolis, Bruno Bez iniciou sua carreira de produção de vídeos experimentais e vem se dedicando às performances em tempo real com a música implícita em seus trabalhos e visões. Com apresentações e projetos marcantes pela Alemanha, Holanda, Itália, Inglaterra, Espanha, França, Estados Unidos e Austrália, hoje o artista reside entre o Brasil e Europa. Inscrições na Central de Atendimentos do Sesc Prainha (Valores: R$20,00 – comerciário e R$40,00 – usuários).

23/07 (qui), às 21h30: Performance Bruno 3ez, audiovisual Jam (Florianópolis/Berlim)
Sinopse: Bruno Bez desconstrói sua linguagem através de uma narrativa não linear, usando da tecnologia como ferramenta de manipulação das sensações e dos sentidos visuais para um novo olhar da arte com uma performance em tempo real. A convergência dos fatos e o fluxo cerebral criativo são as peças que esta experiência usa para levar o espectador a uma abstração e encontrar sua pureza livre de significado, quebrando conceitos básicos por novos rumos contemporâneos, além da perspectiva e dinâmica de processamento de imagem em um experimento sensorial de cinema digital ao vivo.

25/07 (sáb), às 20h, no Teatro Sesc Prainha: Rede Sesc de Música – Dudu Fileti (Armazém / SC)
Sinopse: Apresenta o solo “Amizade”, com músicas de Alegre Corrêa e outros compositores catarinenses, além de releituras de sucessos como “Trem das Onze”, de Adoniram Barbosa e “Tente Outra Vez”, de Raul Seixas. Natural de Armazém, no Sul do estado, o artista ganhou destaque nacional pela sua participação no programa The Voice Brasil, da Rede Globo (2013/2014). Com 30 anos de carreira, já foi vocalista das bandas “Os Marcianos”, “Voo Livre”, “Zawajus”, “Grupo Nativos” e “Ecleticools”.

28 a 30/07 (ter a qui), às 15h: Espetáculo “Sem horas”, com Cia. A ursa de araque (Florianópolis / SC)
Sinopse: Elas na?o tinham mais nada para fazer. Na?o tinham mais os filhos por perto, ou vai ver nunca tiveram filho nenhum. Elas vieram ningue?m sabe de onde, de um lugar distante, talvez na?o em lonjura, mas distante desse tempo, das coisas novas. Elas sa?o do tempo das coisas esquecidas. Dá para ver pelas roupas que vestem, pelas coisas que dizem. Elas sa?o ultrapassadas, e de ta?o passadas, ultra mega passadas, chegam a ser modernas.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *