Não à burocracia

Rádio Cbn Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira

Milton – Bom dia, Ethevaldo. Como vai? Ethevaldo – Bom dia, Milton; bom dia, ouvintes. Tudo ótimo. Milton – Ethevaldo, em sua opinião, como a tecnologia poderia ajudar o Brasil a combater a burocracia? Ethevaldo – De muitas formas, Milton. Uma delas é a do chamado governo eletrônico. Mas é bom reconhecer, logo de início, que a tecnologia digital não faz milagres, isoladamente, embora seja uma ferramenta extraordinária. O que realmente muda a administração de verdade é a combinação da tecnologia com o trabalho de profissionais competentes, apoiado pela vontade política dos líderes e governantes e sob pressão permanente da sociedade.

Milton – Mas você acha que o mundo está, realmente, vencendo a ineficiência burocrática?

Ethevaldo – Está, Milton. Essa é a boa notícia. Nesse aspecto, vivemos um período de profundas mudanças de paradigmas. Proponho até que dediquemos alguns comentários sobre essas mudanças de paradigmas. E podemos começar hoje pelo combate à burocracia. Alguns países avançados – como a Suécia, a Finlândia e a Coreia do Sul – preocupam-se hoje em reduzir a burocracia com o uso da tecnologia, em especial recorrendo ao chamado governo eletrônico, para dar mais agilidade à administração pública, ao setores tradicionalmente burocratizados.

Milton – Explique melhor o que quer dizer governo eletrônico.

Ethevaldo – Vamos começar dizendo o que ele não é, Milton. Governo eletrônico não é substituir homens por computadores ou máquinas. Nem significa desumanizar a administração, mas dar mais agilidade a todos os processos e mais qualidade aos serviços prestados pelo Estado ou setores públicos ao cidadão.

Milton – Como funciona isso?

Ethevaldo – Com o uso das novas tecnologias, você não precisa entrar em filas e ir, fisicamente, a uma repartição para pedir um serviço, uma certidão ou marcar uma consulta nos serviços de saúde pública. Você pode fazer tudo – ou quase tudo – a distância, de sua casa, de seu escritório, pela internet. Ou pelo celular.

Milton – Mas já não existem alguns serviços de governo eletrônico no Brasil?

Ethevaldo – Existem, Milton. Eu lembraria que mais de 95% das declarações de Imposto de Renda, por exemplo, já são feitas via internet. O Brasil já entrou na era da nota fiscal eletrônica. A Justiça começa a informatizar-se, embora com atraso. Muitas vezes o maior obstáculo é a lei obsoleta e anacrônica. O tema é muito oportuno, Milton, pois vamos escolher prefeito e vereadores no domingo. E é bom relembrar que as eleições brasileiras já são as mais informatizadas do mundo. Podemos não votar muito bem, ainda. Mas nossas urnas e o processo de apuração são hi-tech.

Milton – Você quer dizer que Brasil já é um país bastante avançado em matéria de governo eletrônico?

Ethevaldo – Não, Milton. O País está apenas engatinhando. É claro que já conseguiu realizar algumas experiências bem sucedidas e positivas. Mas, de modo geral, ainda tem de vencer muita resistência, que perdura quanto à substituição da papelada pelo conteúdo eletrônico muito mais preciso, virtual e instantâneo. Amanhã, vamos falar ainda dos novos paradigmas, focalizando as razões da fidelização dos clientes, Milton.

Milton – Até amanhã.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *