Nazira, a rouxinol catarinense

A arte em Florianópolis está enlutada pela morte da cantora lírica Nazira Mansur Aguiar, que faleceu na sexta-feira (28/03), aos 94 anos.

[ Fernando Mansur ]

Nazira aos 94 anos. Site Bon Vivan, Leo Coelho

Nazira aos 94 anos. Site Bon Vivan, Leo Coelho

A cantora lutava contra o câncer no pulmão e no cérebro. Nazira foi uma legítima catarinense, pois levou o nome do Estado e da sua cidade natal, Florianópolis, para os palcos e locais pitorescos do mundo.

Foi a sexta filha de um total de oito, da primeira família libanesa  a chegar à Ilha de Santa Catarina. Os pais, Salim José Mansur e Marian Nastir, pertenciam ao clã milenar cristão Eid. Nascida em julho de 1919, desde seus quatro anos demonstrava dotes artísticos. Dos seis até os 16 anos, foi Verônica na Procissão do Senhor dos Passos.

Nessa idade ganhou a primeiro Bolsa de Estudos, doada por méritos pelo governo de Santa Catarina.

Estudou e se formou no Rio de Janeiro, onde consagrou-se pelas ondas da Rádio Cruzeiro do Sul. O sucesso nacional foi imediato com recitais que continham um vasto repertório de músicas de câmara.

Casou com o amazonense Wilson de Souza Aguiar, com quem teve dois filhos: Wilson e Fernando. Nazira se destacou como a mais notável cantora lírica do Estado e ficou conhecida como “Rouxinol Catarinense”.

Do editor:

Nazira Mansur firmou sua carreira artística profissional a partir da década de 1940 em  Florianópolis estrelando concertos em teatros, clubes e palco na Sociedade Rádio Guarujá onde era apresentada por Dib Cherem, um dos primeiros locutores profissionais da Capital. Na foto Nazira aparece acompanhada pelo maestro e violinista Carmelo Prisco e, ao fundo o locutor Dib Cherem. Foto: Acervo Rádio Guarujá.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *