O filme Alô Alô Carnaval imortaliza o rádio brasileiro

Falta de inspiração sobre o que escrever? Um problema resolvido com tranqüilidade, por exemplo, por um talentoso e experiente Carlos Heitor Cony que, nessa situação, simplesmente repete, na íntegra ou não, um artigo antigo. Ou então o nosso Sérgio da Costa Ramos que extrai praticamente do nada histórias que nos obrigam a ler até a última frase. Mas, para um simples amante do rádio e numa semana do carnaval, o óbvio ululante: uma história falando das duas coisas.
Por Chico Socorro

Há duas semanas comentamos sobre o filme A Era do Rádio, de Woody Allen, datado de 1987, no qual o celebrado Ator e Diretor, apelando para a nostalgia, presta significativa homenagem dos norte-americanos ao Rádio. Woody Allen, observem, nasceu no dia 1º. de Dezembro de 1935.
Pois exatamente em  novembro de 1935, antes, portanto,  de Woody Allen ter nascido, o brasileiro Adhemar Gonzaga dirigia , nos estúdios da Cinédia, em São Cristóvão, Rio de Janeiro, o filme Alô Alô Carnaval. Alguns críticos afirmam que esse filme inaugura em nosso País a modernidade do cinema brasileiro.
A intenção do filme era mostrar à população em geral os cantores do rádio, numa era em quem a televisão não existia e os cantores se exibiam praticamente apenas em cassinos, ambientes não freqüentados pelo povo. Assim, esses cantores, popularizados pelo rádio, eram apenas imaginados pela maioria absoluta da população – os programas de auditório só seriam criados mais tarde.


“No filme, “Alô, Alô Carnaval”, de 1936, Carmen e Aurora cantam esta marcha
vestidas com um conjunto de fraque, cartola e calça comprida de tecido brilhante,
desenhado por Carmen.” (Abel Cardoso Junior)

Sobre essa questão da  imaginação, uma das características essenciais do meio Rádio, vale a pena reproduzir um episódio hilário ocorrido com Mário Lago quando uma fã exaltada se aproximou dele na rua e declarou-se apaixonada pela sua voz:
— Quando ouço a sua voz, me dá uma  moleza nas pernas….  Enciumado, o marido procurou Mário para tomar satisfações. Ao saber que nada existia entre os dois, que tudo não passava de pura imaginação, acalmou-se. Deu meia-volta e se foi. Mas ao dobrar a esquina não se conteve e mandou  ver: —- Eu acho que você tem voz de veado. Veado de voz grossa, mas veado!
Voltando ao  filme Alô Alô Carnaval. Quem são os cantores do rádio que aparecem no filme? O grande destaque, sem dúvida, é para Carmen Miranda, a nossa inesquecível Pequena Notável, antes de sua ida para os Estados Unidos.  Ao lado de sua irmã, Aurora, ambas  interpretem a marcha que dá o tom geral ao filme: Cantores de Rádio.
Nesse filme já temos uma  antevisão  da imagem da Carmen Miranda que   os norte-americanos  batizariam com o nome de Brazilian Bombschell – pessoas que causam sensação, por protagonizar pequenos ou grandes escândalos.
Ao lardo das irmãs Miranda, estão no filme nomes de peso da época:  o Rei da Voz, Francisco Alves, Mário Reis, Almirante. Lamartine Babo, Dircinha Baptista e o legendário Bando da Lua.
A música Cantores de Rádio, lançada no filme e gravada em 1936 acabou se transformando num dos maiores sucessos do repertório de Carmen Miranda.
Na década de 70, a música fez parte da trilha de outro filme centrado na temática carnavalesca: Quando o Carnaval Chegar, de Carlos Diegues, interpretada por Chico Buarque, Maria Bethânia e Nara Leão.
Uma curiosidade sobre o nascimento da música: de acordo com o pesquisador Suetônio Soares Valença, ela foi  criada por Lamartine Babo, Braguinha e Alberto Ribeiro dentro de um ônibus. Registros de outras fontes apontam que um dos boêmios  era João de Barro e não o Braguinha. Contudo, o fato  incontroverso  é que  três amigos da noite haviam perdido todo o dinheiro no Cassino da Urca e se dirigiam para casa em um ônibus.  Entusiasmado com  a canção concebida no banco de trás do lotação, o trocador teria dispensado-os dos vinténs da passagem…
Vale a pena  alugar o DVD e deliciar-se com as imagens  das irmãs vestidas com camisas listradas ao estilo malandro e calças colantes simplesmente escandalosas para a época.
:: Clique aqui para ouvir a música Cantores de Rádio
CANTORES DE RÁDIO

[Marcha
De A. Ribeiro, Josué de Barros e Lamartine Babo,
acompanhamento da Orchestra “ODEON”
Participação de Aurora Miranda
Lançada em maio de 1936]

Nós somos as cantoras do rádio, levamos a vida a cantar
De noite embalamos teu sono, de manhã nós vamos te acordar
Nós somos as cantoras do rádio, nossas canções
cruzando o espaço azul
Vão reunindo num grande abraço corações de Norte a Sul

Canto pelos espaços afora
Vou semeando cantigas, dando alegria a quem chora
(bum, bum, bum, bum, bum)
Canto, pois sei que a minha canção
vai dissipar a tristeza que mora no teu coração

Canto para te ver mais contente
pois a ventura dos outros é alegria da gente
(bum, bum, bum, bum, bum)
Canto e sou feliz só assim
Agora peço que cantes um pouquinho para mim.

 


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *