As pessoas têm gostos e vontades

O rádio surge oficialmente nos anos 1920 e se torna a sensação das massas. Algum tempo depois, o veículo começa ser analisado com profundidade, nos anos 1940, pelo matemático, sociólogo e estudioso dos meios de comunicação, Paul Lazarsfeld.

Paul Lazarsfeld, em 1953.

Ele fez uma pesquisa com sua equipe a respeito dos efeitos desta mídia sobre as pessoas.

Em relação ao radioteatro, ele chegou à posição que as radionovelas (soap-opera-em inglês) e as publicidades inseridas nelas não atingiam as pessoas como indivíduos sem gostos e vontades. Isto é, a persuasão e sedução emanadas do aparelho de rádio não tornavam as pessoas vítimas fatais.

Outra conclusão foi que os ouvintes não se interessavam todos da mesma forma pelas encenações. Havia pessoas que acompanhavam a dramaturgia todos os dias, enquanto que outras as ouviam apenas alguns dias da semana.

Os ouvintes também não se expunham da mesma maneira. Muitos ficavam “colados” ao rádio durante dois ou três períodos da jornada. Por outro lado, havia pessoas que decidiam ouvir novelas apenas em um período: manhã, tarde ou à noite.

Em se tratando de publicidade, no momento das novelas de rádio, é preciso dizer, conforme Lazarsfeld, que uma parte do público levava mais tempo que outros ouvintes para fazer escolhas entre os produtos e marcas anunciadas. As decisões levavam em conta igualmente a opinião de parentes e amigos que estivessem juntos acompanhando os folhetins eletrônicos.

Paul Lazarsfeld iniciou sua formação acadêmica na Universidade de Viena, na Áustria, onde obteve, em 1925, o título de doutor em matemática. No ano de 1933 ele foi morar nos Estados Unidos, quando assumiu a direção do Gabinete de Pesquisa Radiofônica na Universidade de Princeton.

Em 1940, Paul Lazarsfeld virou professor do departamento de sociologia da Universidade de Columbia, instituição na qual desenvolveu outras diversas pesquisas na área da comunicação. Entre os livros publicados por ele estão: The People’s Choice, Radio Listening in America e Voting.

Categorias:

Por Ricardo Medeiros

Doutor em Rádio pelo Departamento de História da Université du Maine (Le Mans, França). Radialista, jornalista, escritor e professor de rádio do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina e assessor de imprensa da Prefeitura de Florianópolis. É um dos fundadores do Instituto Caros Ouvintes.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *