O prefixo do Jornal Nacional

Sobre o Jornal Nacional, já quarentão, uma curiosidade: a criação do prefixo foi inspirada em The Fuzz, faixa composta por Frank De Vol para o filme “The Happening“, de 1967. Foi gravada pelo grupo The Supremes. No mesmo ano saiu uma versão instrumental com Herb Alpert e o Tijuana Brass. O JN estreou em 1969 sob o comando dos jornalistas Armando Nogueira e Alice Maria.

Categorias:

Por Emílio Cerri

Radialista, jornalista e publicitário. Âncora em rádio e telejornalismo em emissoras de Santa Catarina e Brasília. Como publicitário trabalhou em agências e empresas de Florianópolis, São Paulo, Rio e Brasília. É consultor de comunicação de marketing. Edita vários blogs (inclusive Caros Ouvintes). Palestrante internacional.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

1 responder
  1. Carlos Braga Mueller says:

    Amigos do Caros Ouvintes,

    Parabéns pela pesquisa sobre o prefixo do Jornbal Nacional, uma música que o Brasil conhece, de norte a sul, de leste a oeste, há 4 décadas.
    A propósito:
    No dia 1º de setembro de 1970 foram comemorados dois aniversários: a TV Coligadas de SC, com sede em Blumenau, completava 1 ano de existência. No mesmo dia, o Jornal Nacional festejava seu primeiro aniversário.
    E foi no mesmo dia que Santa Catarina começou a receber, via Embratel, as imagens do JN através da TV Coligadas.
    Naquela época não eram muitas as afiliadas da novata Rede Globo que retransmitiam este noticiário, mantendo inclusive um “rabicho” do jornal, chamado de parte regional, como tinha a TV Coligadas.
    Infelizmente, e é bom que isto fique bem gravado, o livro sobre a história do JORNAL NACIONAL não faz nenhuma referência a esta importante participação de SC no cenário das comunicações do nosso país, quando as transmissões por satélite ainda engatinhavam.
    Posso falar porque quem apresentou o JN/SC de 1970 a 1974 fui eu, sob a direção de Nestor Fedrizzi (regional) e Alice Maria (nacional).
    Como se vê, a história ainda tem muita coisa para contar.
    Ainda bem que existem canais para isto, como o Caros Ouvintes, por exemplo.
    Abraços
    Carlos Braga Mueller/Blumenau-SC

Os comentários estão fechados.