O que pega é a mentira

Verdades e mentiras, quais dessas são as mais faladas? Quais as mais facilmente aceitas?

Há quem diga que a verdade dói. Faz até lembrar uma frase muito usada pelo jornalista, Boris Casoy: “Doa a quem doer”. Essa frase dava a entender que a verdade seria dita de qualquer forma; independente de a quem ferisse pela veracidade dos fatos.

E até que ponto a imprensa é livre para isso? Qual o limite imposto a nós comunicadores e a qualquer cidadão de expressar livremente nossos pensamentos? Claro que deve haver o bom senso, a responsabilidade, por exemplo, de se identificar, e além disso nossos comentários e críticas devem ter bases sólidas, e não apenas o “achismo “. Sem conhecimento de causa, seja ela qual for, criticar só por criticar ainda que possível, não tem “peso”, não acrescenta ao necessário e a democracia.

Hoje, como nunca antes em toda a história humana, com a Internet literalmente em nossas mãos muitas coisas são facilmente escritas e divulgadas. Mas o que é verdade e se deve levar em conta? O que é descartável e até absurdo?

Pensamento importante : “A pessoa ingênua acredita em qualquer palavra, mas quem é prudente pensa bem antes de cada passo”. Provérbios 14:15. Bíblia.

O programa: Canal Livre, da Band TV, com o comando do jornalista, Ricardo Boechat do último domingo, 1° de abril, com ilustres convidados, discutiu as – mentiras nas redes sociais – que podem eleger ou derrubar alguém; até um chefe de Estado. Muitos compartilham qualquer coisa recebida no seu dispositivo eletrônico; muitas informações que não foram checadas por quem as escreveu; pelo primeiro a compartilhar e assim segue. Se o receptor gostar da ideia simplesmente compartilha.

O ministro da propaganda nazista, Joseph Goebbels (1897-1945) disse uma frase que se tornou célebre: “Uma mentira contada mil vezes torna-se uma verdade”.

Quem já tirou tempo para ler sobre as grandes mentiras americanas, entre elas o ataque a Pearl Harbor? O então presidente, Franklin Roosevelt soube do ataque horas antes. O código secreto japonês havia sido descoberto e o almirante Isoroku Yamamoto, grande estrategista militar que assustava os americanos poderia enfim ser derrotado. Por esse e outros motivos o presidente julgou (possivelmente com sua equipe ) que não valia à pena revelar que haviam descoberto o código secreto japonês. Essa atitude resultou na morte de muitos de seus soldados e posteriormente do almirante japonês.

Enfim, a mentira está impregnada na sociedade humana; não apenas nos Estados Unidos, no Brasil e na Venezuela. Desde os relacionamentos conjugais e familiares, nas empresas, na política, na religião; onde quer que haja seres humanos, há real possibilidade de mentiras.

Outro pensamento que deve gerar reflexão: “Pois haverá um tempo em que não suportarão um ensinamento sadio, mas de acordo com seus próprios desejos, se cercarão de instrutores que lhes façam – cócegas nos ouvidos”. 2 Timóteo 4:3. Bíblia.

Muitas pessoas parecem que “entregaram a outros” suas escolhas, decisões, fé e vida. Se acredita quase em qualquer coisa do que é falado ou publicado na imprensa, na internet e até por religiosos; o que caberia a elas entender e decidir. Ficam dúvidas: Será preguiça de pensar, de pesquisar, de questionar e assim assumir responsabilidades? Seria mais fácil e cômodo as “cócegas nos ouvidos”? Não há como culpar de forma direta comunicadores que respondem aos seus chefes. É necessário “abrir olhos e ouvidos de entendimento”.

Parece cômodo deixar que outros pensem, decidam e falem por nós. Isso é “tirar o corpo fora”. Isso é passado de pai pra filho, de geração para geração, assim como “uma mentira contada mil vezes”.

Mentiras culturais, religiosas e políticas foram faladas bem mais que mil vezes. Será que fomos “contaminados”? Só há um jeito de saber. Ousar. Ousar pesquisar sem medo de dar de “cara” com mentiras que sempre nos pareceram verdades. E coisas das quais sempre duvidamos e podem ser verdades. Como diria o jornalista: doa a quem doer”.

Será que temos a coragem de encarar a verdade num mundo onde o que parece pegar é a mentira?

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *