O rádio era um sonho, uma ambição, uma tentação

ACADEMIDIA | Entrevista | Thaís Teixeira

O caminho já é conhecido e o entrevistado também. Chego por volta das 14 horas ao Residencial Mário Quintana, no Estreito, sem uma pauta pronta e com meia dúzia de ideias na cabeça. Eurides Antunes Severo me espera para uma conversa, eu estou preocupada e nervosa. Apenas um gravador e uma agenda com algumas perguntas rascunhadas me acompanham. Lembro da sua palestra e de como ele me ganhou como admiradora quando disse que “Só os loucos, só os poetas, só os irresponsáveis conseguem mudar alguma coisa”. Subo pelo elevador e vou em direção ao enorme corredor, até encontrar o número 104. Dona Nivalda me espera com a porta aberta e um sorriso bastante receptivo. Cumprimenta-me e convida-me a entrar. Antunes chega em seguida vestindo um suéter azul e calça comprida. Sou acompanhada pelos dois até o escritório com centenas de livros, dois computadores e um microfone, o mesmo que tem em estúdios de rádio. Leia entrevista completa no blog do livro.

Categorias: Tags: , , , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *