O rádio para muitos, além de companheiro, é um professor virtual!

Em matéria divulgada nesta última semana, no site FolhaSP, falava-se do grande crescimento de instituições que oferecem cursos a distância no Brasil nos últimos dois anos. Em pouco tempo, o número mais que dobrou, e este meio de dissipação de conhecimento e fortalecimento intelectual, ganhou status de “grande importância”, em se tratando de profissionais que procuram alavancar suas carreiras.

De maneira onipresente e desvinculada de um horário fixo, o conhecimento tornou-se disponível por meio de um simples login, e o profissional, sem interrupção de suas atividades rotineiras, têm a possibilidade de inserir em seu curriculum, uma graduação, uma especialização e até mesmo um mestrado. Em um país com objetivos de “crescimento” e aproximação de classes, a internet passou a ser utilizada, em fim, como um elemento chave para a globalização!

Mas será que este movimento é inerente a evolução tecnológica? Será que somente agora se passou a observar isto? É interessante, mas não! Este movimento não é de agora e explico o motivo de eu aqui escrever isto.

Não quero ser repetitivo, mas, conforme explico em meu primeiro texto publicado aqui no Caros Ouvintes, foi de meu pai que recebi o gostinho pelo rádio e é em um comentário feito por ele, que este texto se baseia.

Meu pai, já aposentado e descompromissado com horários e telefonemas, resolveu aventurar-se em um teste de conhecimento e decidiu inscrever-se em um concurso público. Sem pretensão nenhuma e sem ter estudado nada, foi à prova e para surpresa de todos inclusive dele próprio, acertou 24 das 30 questões da prova.

Ele ria de surpresa e alegria quando comentou, “Sabe porque isso, eu ouço muito rádio e fico por dentro dos acontecimentos”.

Ele está ali, trazendo notícias e conclusões, explanando temas e protagonizando discussões… e com isso educando!

Uma escola disponível de maneira popularmente intelectual, onde os maiores mestres estão presentes. Mestres muitas vezes com escolaridade comum, mas pós-doutorados em matéria de “vida”. Mestres em “artes cênicas não visuais” com especialização em contação de histórias.

Ele vai muito além do alcançado pela internet. Ele vai a lugares onde o telefone não consegue chegar, sem a necessidade de fios, postes e torres. Transpõe facilmente montanhas, mares e continentes.

O rádio é o professor que leciona com palavras simples, de maneira clara e descomplicada!

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *