O suspense no Teatro de Mistério, da Rádio Nacional

Curta áudios e curiosidades na primeira parte de ‘O rádio faz história’ sobre a série policial que fez sucesso no Rio de Janeiro.

Hélio do Soveral escreveu várias novelas para o rádio, um gênio em mexer com a imaginação do ouvinte.

Hélio do Soveral escreveu várias novelas para o rádio, um gênio em mexer com a imaginação do ouvinte.

Com colaboração de Rose Esquenazi, professora da Faculdade de Comunicação da PUC-RJ, o programa Todas as Vozes contou curiosidades e mostrou trechos do Teatro de Mistério. É a primeira parte da edição especial do quadro ‘O rádio faz história’ em homenagem ao radioteatro nos 80 anos da Nacional.

Nas décadas de 1950, 1960 e 1970, a emissora da Praça Mauá produzia e transmitia o programa de suspense escrito por Hélio do Soveral: Teatro de Mistério. Hélio do Soveral Rodrigues de Oliveira Trigo nasceu em Setúbal, Portugal. Escreveu 316 capítulos do Teatro de Mistério. Cada episódio tinha duração aproximada de 45 minutos. Os títulos sugeriam sempre a tensão que acompanhava um caso policial. ‘Um corpo na banheira’, ‘Armadilhas’, ‘Assassinos de Mulheres’, ‘Onde está Marisa’, ‘Morre um milionário’, ‘Quem matou Madame Blanchard’ e ‘Retrato de um fantasma’ são alguns deles.

Ouça aqui o primeiro trecho de ‘O estrangulador de Laranjeiras’. Nesse episódio, a atriz Carmem Dolores interpretou a empregada Guiomar. Geraldo Avelar, o papel do comissário. Neida Regina era Alba e Cauê Filho, Djalma. O herói era o inspetor Marques, do Departamento de Polícia Judiciária do Rio de Janeiro. Em outras edições do Teatro de Mistério, o inspetor Marques foi interpretado pelo famoso ator Rodolfo Mayer e o detetive Zito por Gerdal dos Santos, que ainda hoje trabalha na Rádio Nacional.

Ouça, no player, o áudio completo do quadro ‘O rádio faz história’.

O programa Todas as Vozes vai ao ar de segunda a sexta, de 7h20 às 10h, na Rádio MEC AM do Rio de Janeiro, 800 kHz, com apresentação do jornalista, professor e radialista Marco Aurélio Carvalho.

(EBC, 05/08/2016)

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *