O talento de Giovani Martinello

Desde pequeno ele mostrava talento quando narrava jogos de futebol em brincadeiras com amigos. Amante do esporte, o menino do Oeste catarinense já era anunciado pelos companheiros de “peladas” como um futuro jornalista esportivo.
Por Adriane Ferreira e Andréa Malescheski – estudantes da 7ª fase do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina “Eles brincavam comigo e diziam: ‘você vai ser narrador um dia’.” Giovani Martinello, antes de ingressar no meio jornalístico, trabalhou como vendedor numa loja de discos. Ali, recebeu um convite para trabalhar na rádio de sua cidade, Chapecó , dando assim início a promissora carreira. O comunicador esportivo engrenou na profissão em 1994, na TV Record em Xanxerê. Em 1999 foi convidado pela empresa RBS para trabalhar como apresentador no Jornal do Almoço em Chapecó, onde ficou por um ano e meio. Em agosto de 2000 foi transferido para Florianópolis.


Em pé, da esquerda para direita, estão as autoras da matéria: Andréa
Malescheski e Adriane Ferreira. Ao centro, Giovani Martinello.

Em 2004, o repórter esportivo Giovani Martinello viveu seu melhor momento profissional ao narrar as Olimpíadas de Atenas no Rio de Janeiro, a convite da Sport TV (canal da GloboSat). Giovani foi o único catarinense, ao lado do coordenador de esportes da RBS TV, Caco da Motta, convocado para transmitir os jogos. Experiência que adorou e gostaria de repetir. Ao saber que iria cobrir as olimpíadas, O estudante de jornalismo da Estácio de Sá teve que se preparar, pois iria narrar algumas modalidades consideradas “sobras” – as que o Brasil não tinha chance de medalhas – cujas regras eram desconhecidas por ele. A preferência das transmissões foi dada aos profissionais mais antigos da emissora. Narrando as “sobras”, o nosso “pé de coelho” teve uma grata surpresa.

Foi chamado às pressas para transmitir a final do futebol feminino, entre Brasil e Estados Unidos, em que as brasileiras foram vice-campeãs, conseguindo assim, “a sua primeira medalha”. A final do hipismo, em que Rodrigo Pessoa ganhou a medalha de prata – hoje medalha de ouro devido o resultado do doping do primeiro colocado – e a tão comentada maratona em que Vanderlei Cordeiro de Lima chegou em terceiro lugar, também foram narradas por esse garoto de sorte e talento, cuja presença já é garantida no Panamericano em 2007. Sem dúvida, foi para o jovem, que começou atuar na comunicação aos 14 anos, um grande motivo de orgulho.

E se depender da persistência e determinação que o acompanha ao longo de sua promissora carreira, ainda veremos o nosso “Repórter Espetacular” realizar seu sonho de transmitir uma copa do mundo. Com apenas 28 anos, Martinello é conhecido, respeitado e considerado por seus colegas de profissão e admiradores, um grande nome do jornalismo esportivo do nosso estado. Encanta a todos com sua simpatia, e a voz inconfundível está presente em muitos momentos no dia a dia do ouvinte e telespectador catarinense.

Giovani é casado há quatro anos com Ana Paula Martinello que, segundo o marido, apesar da esposa não gostar de esportes e ele não ter muito tempo para o convívio familiar, o apoia em todos os momentos. “Ela me conheceu assim”. A rotina do repórter que, apesar da experiência, sentiu a necessidade de se especializar e cursar jornalismo, começa cedo. Às 5 horas da manhã, já está na rádio CBN, onde trabalha como âncora, das 6h às 9h , transmitindo notícias locais. Nesse meio tempo, também participa do programa Bom Dia Santa Catarina. Trabalho e mais trabalho é o lema do narrador que acumula as funções de repórter da RBSTV, editor, apresentador substituto e narrador esportivo, função que lhe ocupa praticamente todos os finais de semana. Atualmente ele presta serviços para SPORTTV e como repórter da RBS conseguiu “emplacar” 38 matérias em rede nacional, nada mal para quem ainda tem muito tempo para continuar a brilhar.


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *